Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

OPEP: Organização dos Países Exportadores de Petróleo

OPEP: um resumo

A OPEP é uma das maiores organizações da atualidade, possuindo membros em diversos continentes, incluindo a América do Sul.

Assim, não é de se surpreender que esse assunto seja cobrado com frequência em questões de geografia e de história das principais provas do país, como o ENEM e os vestibulares.

OPEP: Introdução

O termo OPEP é, na verdade, uma sigla para o nome Organização dos Países Exportadores de Petróleo, organização que foi fundada no ano de 1960 na capital do Iraque, a cidade de Bagdá.

A OPEP foi criada com o objetivo de administrar os assuntos relacionados à exploração e à exportação do petróleo em escala mundial.

A sede da organização é a cidade de Viena, na Áustria. É válido destacar, ainda, que a OPEP concentra cerca de 79% das reservas de petróleo de todo o mundo.

Entre os seus membros, podem citar: Arábia Saudita, Líbia, Angola, Guiné Equatorial, Congo, Nigéria, Argélia, Venezuela, Irã, Gabão, Iraque e Kuwait.

OPEP: Criação e Contexto Histórico

O petróleo passou a ser explorado e cobiçado em larga escala a partir do século XIX, com o advento da Segunda Revolução Industrial. Esse combustível fóssil era e é utilizado como fonte de energia para diversos tipos de motores, além da produção de combustíveis como gasolina e diesel. Ainda, o petróleo é também utilizado para a produção de plástico, tintas e borrachas.

Porém, os países desenvolvidos e em desenvolvimento passaram a depender cada vez mais do produto, principalmente durante o início do século XX.

Dessa maneira, muito antes da criação da OPEP, sete grandes empresas do ramo do petróleo passaram a monopolizar o mercado mundial do produto. O grupo era conhecido como “As Sete Irmãs” e era composto por: Texaco, Chevron, British Petroleum, Gulf, Exxon, Mobil e Shell. Os lucros que essas empresas alcançavam eram enormes, uma vez que elas monopolizavam o mercado e impunham os preços que quisessem aos compradores.

Assim, foi necessário criar um órgão que pudesse regulamentar e controlar o comércio e a exploração de petróleo em todo o mundo, com o objetivo de frear a ação indiscriminada das Sete Irmãs.

OPEP: Características

Os países membros da OPEP regulam os preços dos barris de petróleo com a intenção de estabilizar o mercado mundial que compra esse produto fundamental. Sendo assim, os membros tomam decisões juntos a fim de chegar a um consenso sobre o valor do barril do produto.

Porém, apesar de a organização ter sido criada com uma intenção supostamente boa, ela é também alvo de diversas críticas. Isso porque, algumas pessoas afirmam que a OPEP agiria, na verdade, como um cartel, em que os países membros combinariam valores para dominar o mercado de petróleo, aumentar os seus próprios lucros e evitar qualquer tipo de concorrência. Todavia, outros estudiosos defendem a existência da OPEP e afirmam que ela é necessária para evitar que outra crise do petróleo ocorra, como aquelas que aconteceram em 1973 e em 1979.

Ainda, defensores da OPEP apontam também ao fato de que a organização foi responsável pela crescimento econômico de alguns de seus membros, como o Kuwait.

OPEP: O Brasil

É válido destacar que o Brasil não é membro da OPEP, apesar de ocupar um importante lugar entre as maiores reservas de petróleo do planeta.

Porém, após a criação da Petrobrás, no ano de 1954, o Brasil conseguiu consolidar uma certa independência da OPEP em relação à importação desse produto.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.