Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Novo Bolsa Família de R$ 300 pode ser financiado; veja como

A intenção do chefe do executivo é ampliar o número de beneficiários, bem como o valor médio do programa social.

No fim de 2020, o presidente da república, Jair Bolsonaro, anunciou a reformulação do Bolsa Família. A intenção do chefe do executivo é ampliar o número de beneficiários, bem como o valor médio do programa social.

No entanto, o desafio maior é encontrar um meio para custear as novas propostas. Atualmente, o Bolsa Família atende 14,6 milhões de famílias em situação de extrema pobreza e pobreza. O valor do benefício varia conforme a composição familiar, todavia, a média do programa é R$ 192.

Como mencionado, o objetivo do Governo é aumentar o número de beneficiários e o valor médio concedido mensalmente. A expectativa é beneficiar mais 4 milhões de pessoas nos próximos meses, ampliando a renda de entrada das famílias extremamente pobres para R$ 100.

No que se refere ao novo valor médio do programa, o presidente pretende estabelece-lo em R$ 300, a partir da criação de novos abonos. Neste sentido, somente as famílias que cumprirem os requisitos dos novos benefícios terão o valor ampliado.

Confira as propostas de abonos do Governo Federal para o Bolsa Família:

  • Voucher creche: R$ 250;
  • Ajuda financeira de R$ 52 para as famílias carentes com crianças de até cinco anos;
  • Bônus anual para o melhor aluno: R$ 200;
  • Bolsa mensal de R$ 100 para o estudante destaque na área científica, tecnológica ou esportiva;
  • Prêmio anual de R$ 1 mil para alunos destaques em ciência e tecnologia ou em atividades esportivas;
  • Prêmio anual de R$ 200 para os melhores estudantes.

Com o anúncio do presidente referente a média de R$ 300, até os integrantes da equipe econômica se questionam de onde tirarão recursos para viabilizar a reformulação do programa social.

Como financiar o novo programa?

De acordo com o Secretário da Fazenda, Bruno Funchal, a ampliação do Bolsa Família irá reduzir a possibilidade de outros investimentos. Ele ressalta que o Orçamento Geral da União de 2022 terá uma folga de R$ 25 bilhões a R$ 30 bilhões.

Logo, a quantia será utilizada para bancar a reformulação do programa social. Contudo, devido a inflação, o teto de gastos deve subir de R$ 1,486 trilhão para R$ 1,610 trilhão.

Veja também: WhatsApp pagamentos: entenda como funciona no Banco Neon

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
2 Comentários
  1. Shirley Araújo Silva Diz

    Eu espero que almeta mesmo que receber só 250 Não dá pra compra nada

  2. Rodrigo Barros Diz

    Essa palhaçada de bolsa vagabundo devia acabar….vão trabalhar cambada de vagabundos….emprego tem sim é só procurar

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.