Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Novo Bolsa Família com valor de R$400

Não se sabe o que o Presidente da Câmara acha da manobra do Governo, mas ele já se opôs a um aumento para R$ 400

O Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) ainda não se pronunciou sobre a tentativa de manobra do Governo Federal para aumentar o valor do novo Bolsa Família a partir de novembro. Só que em outro momento, ele chegou a deixar claro que não concorda com um aumento do programa para a casa dos R$ 400.

Veja também: Veja como regularizar e atualizar o seu CPF em 2021

Isso aconteceu ainda no início do último mês de agosto. Na ocasião, surgiu na imprensa a ideia de que o Governo Federal estaria analisando a possibilidade de aumentar o Bolsa Família para a casa dos R$ 400. Quando essa informação começou a circular, Arthur Lira foi à público para dizer que isso não iria acontecer de jeito nenhum.

“De uma vez por todas, que nós tenhamos calma nesses momentos em que muitas vezes a polarização e as discussões entre Poderes afloram de maneira mais efusiva, e aqui no Legislativo nós teremos tranquilidade, como sempre tivemos, para manter as coisas como sempre foram”, disse ele ainda no último dia 3 de agosto.

“Não houve essa conversa de R$ 400, não há essa conversa de Bolsa Família dentro de PEC, não há essa conversa de furar teto de gastos”, seguiu o Presidente da Câmara. “Eu queria aqui reafirmar que não há a possibilidade de se estourar esse orçamento no Brasil a depender da vontade do Legislativo”, completou ele.

A questão é que essa possível manobra do Governo Federal para aumentar o Auxílio Brasil inclui uma volta no teto de gastos. Pelo menos R$ 50 bilhões viriam de despesas fora desse limite de orçamento. De acordo com o Planalto, só assim seria possível pagar um benefício que chegasse aos R$ 400.

Fora do teto de gastos

Pela ideia do Governo Federal que vazou para a imprensa nesta terça-feira (19), o Planalto pagaria R$ 400 para os usuários do novo Bolsa Família a partir de novembro. Só que deste montante, apenas R$ 300 viriam de dentro do teto de gastos públicos.

Os outros R$ 100 viriam de fora dessas despesas. E isso seria justificado porque se trata de um benefício temporário. Assim, as pessoas não precisariam receber ele para sempre, mas só até depois das eleições presidenciais de 2022.

Ao todo, o Governo poderia gastar até R$ 50 bilhões de fora do teto de gastos. Com essa manobra, o Planalto não estaria furando esse orçamento, mas estaria pegando dinheiro de fora dele. E isso acabou irritando muita gente.

Reação ao aumento do Auxílio

O Governo Federal nem precisou fazer esse anúncio oficialmente. Bastou que a mídia vazasse essa informação para que o mercado entrasse em uma espiral. Para se ter uma ideia, a cotação do valor do dólar chegou em um dos maiores níveis do ano.

Além do mercado, o relator da proposta do novo Bolsa Família também não gostou nada da ideia. Em entrevista para a rádio CBN ainda nesta terça-feira (19), ele disse que foi pego de surpresa com essa tentativa de manobra do Governo Federal.

Ele disse que não discorda de um aumento do Auxílio Brasil para a casa dos R$ 400. No entanto, ele disse que isso não pode ser feito através de medidas temporárias. Ele acredita que o melhor é deixar as pessoas receberem esse aumento por tempo indefinido.

Avalie o Texto.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

2 Comentários
  1. Carlos Augusto lucena da Silva Diz

    Gostaria de ter este cartão

  2. Elisabete pereira scaramello Diz

    Gostaria muito de trabalhar

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.