Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Novo Bolsa Família ADIADO; entenda

O novo Bolsa Família – que será chamado de Auxílio Brasil – deve ter o seu pagamento adiado. Previsto inicialmente para novembro, o benefício social só deve começar em dezembro, quase sem tempo para se concretizar; Foi o que confirmou o deputado Hugo Motta (Republicanos-PB), relator da PEC dos Precatórios, de acordo com o portal Metrópoles.

“Em novembro, o Ministério da Cidadania leva um tempo para operacionalizar a folha e leva uns 45 dias. Em novembro talvez não dê tempo, então estamos trabalhando com dezembro”, admitiu ele.

A ideia é que o governo pague pelo menos R$ 400 para famílias em extrema pobreza e seja aumentado em 20% os outros benefícios.

“A previsão é podermos liberar com as mudanças nos precatórios R$ 44 bilhões e com esse novo regramento do teto período de correção de janeiro a dezembro, estamos encontrando espaço de mais R$ 39 bilhões, que possibilitarão o reajuste do novo Auxílio Brasil a ser pago já a partir de dezembro de 2021”, relatou Motta.

“Para que comece em dezembro, estamos usando as regras dos meses para 2021 e isso daria um espaço de mais ou menos R$ 30 bilhões, mas vamos usar R$ 15 bilhões este ano. Isso possibilitará que o Auxílio Brasil seja de R$ 400 em dezembro e que possa ser feita a compra de vacinas para o ano que vem e outras ações socioeconômicas que o governo pode optar com esse recurso”, completou o relator.

A PEC dos Precatórios precisa passar tanto pela Câmara quanto pelo Senado para passar a valer. A previsão é que o texto vá na próxima para Câmara e tenha prioridade no Senado, de acordo com Motta, que explicou que inclusive já havia alinhamento com Rodrigo Pacheco (DEM-MG), presidente do Senado.

Governo prometeu novo Bolsa Família ainda em novembro

O prazo passado pelo parlamentar é diferente do que vinha prometendo o ministro da Economia, Paulo Guedes. O governo havia dito que pagaria o benefício já no mês que vem, uma vez que renovar o auxílio emergencial estaria fora de cogitação.

O ministro da Cidadania, João Roma (Republicanos-BA), também havia dito que os pagamentos começariam em novembro. Se isso será possível ainda não se sabe.

Mas Guedes parece estar empenhado com o lançamento do novo Bolsa Família, anunciando inclusive que usaria bilhões  fora do teto de gastos se preciso. O programa pretende também aumentar a popularidade do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Auxílio de transição

Além do novo Bolsa Família, o governo também estuda lançar um auxílio de transição de cerca de R$ 400 até dezembro. O benefício, se confirmado, deve ser pago para as pessoas que hoje recebem o auxílio emergencial, porém não se enquadram nas regras do novo Bolsa Família.

Avalie o Texto.

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.