Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Nova extensão do auxílio emergencial fixo de R$1.200 em 2021? VEJA

O Projeto de Lei (PL) 2.099/20 prevê o pagamento do auxílio emergencial para mães chefes de família, que paga o montante de R$1.200 por parcela, vire fixo/permanente. Atualmente, esse projeto está sendo analisado pela Câmara dos Deputados. O aturo do projeto é o deputado Assis Carvalho (PT-PI).

Se o Projeto de Lei for aprovado, irá beneficiar as brasileiras provedoras de famílias monoparentais. Ou seja, serão beneficiadas as mulheres em que as famílias possuem ao menos um dependente menor de 18 anos e que não possuem cônjuge ou companheiro.

Ainda após análise da Câmara, o Projeto de Lei também será analisado pela Defesa dos Direitos da Mulher, Seguridade Social e Família, Finanças e Tributação, Constituição e Justiça e de Cidadania.

Atualmente, para ter direito ao auxílio emergencial de R$ 1.200, voltado para as mães chefes de família, é necessário não ter emprego formal, ter mais de 18 anos, não ser beneficiário de programa previdenciário ou assistencial e não receber seguro desemprego ou programa de transferência de renda do governo, com exceção do Bolsa Família.

Também é necessário ter renda familiar por mês per capita de até meio salário mínimo, de R$ 522,50, ou renda familiar mensal total de até três salários mínimos, de R$ 3.135. Entre os requisitos está ainda ser microempreendedora individual (MEI), trabalhadora informal, autônoma ou desempregada.

O que diz Bolsonaro sobre prorrogação

O presidente Jair Bolsonaro voltou a confirmar que o auxílio emergencial não será prorrogado. Além disso, o chefe do executivo confirmou que não será criado um novo programa de distribuição de renda e afirmou que a ideia é “aumentar um pouquinho” o atual programa assistencial Bolsa Família.

Segundo Bolsonaro, o auxílio pago a vulneráveis por causa da crise provocada pela Covid-19 tem caráter emergencial. Segundo ele, o Brasil conta com uma capacidade de endividamento e não pode se “desequilibrar”.

“Quem falar em Renda Brasil, eu vou dar cartão vermelho, não tem mais conversa”, disse Bolsonaro em entrevista ao apresentador José Luiz Datena, da TV Band. O Renda Brasil era o programa previsto pelo Governo para substituir o Bolsa Família.

“Auxílio é emergencial, o próprio nome diz: é emergencial, Não podemos ficar sinalizando em prorrogar e prorrogar e prorrogar”, disse o presidente, acrescentando que “acaba agora em dezembro”.

Ao se referir que agora o foco será o Bolsa Família, Bolsonaro confirmou o que tem falado para a equipe econômica: “Vamos tentar aumentar um pouquinho isso aí.”

O presidente argumentou, ainda, que o país tem que manter as contas em ordem para evitar aumento da inflação, “o imposto mais danoso que existe para todo mundo,” disse ele.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
10 Comentários
  1. Nelson Pereira de Araújo Diz

    E pra Quem só Recebeu só duas parcelas do auxílio Emergencial ingual no meu caso que me faram que eu só Receberia só nó dia 25 de janeiro e Este auxílio Emergencial vai ser pago

  2. Danielly Diz

    Seria tão bom pra mim. Eu nunca trabalhei, não estudei, moro no sertão onde tudo é difícil sou separada com duas filhas sobrevivo com bolsa família 171 reais, a pensão delas 200. Moro perto dos meus pais, meu pai que né ajuda com aluguel, Esse dinheiro iria me ajudar muito.🙏🏼

  3. Vivi Diz

    Sim, até concordo com esse auxílio emergencial as mães solteiras,mais solteiras de vdd,porque muitas são só solteiras no papel e não precisa dessa ajuda

  4. Evelyn ferreira Alves Diz

    evelynferreiraalvesgerente@gmail.com

  5. Jony Diz

    Se esse auxílio de 1200 der certo o país vai falir rápido do q vai ter de mulher tendo filho aí ganhando essa merreca do bolsa família já tá assim imagine os 1200.

    1. Vivi Diz

      Concordo plenamente com vc

  6. Pleoplata Vieira de melo Diz

    Boa noite, o que eu faço pra refazer meu cadastro, tenho uma filha sou chefe de família. e no dia que fiz meu cadastro simplesmente travou e dei continuidade quem colocar ela. E agora. Recebi as parcelas como pessoa normal desempregada, e o que faço pra me ajudarem?

  7. Alessandra Diz

    Meu pensamento e o seguinte: para o povo não tem solução e para os ladrões do colarinho branco roubam direto !!!!

  8. Marcos Francisco Pacheco Diz

    isso só cai aumentar o número de mães solteiras ou aquelas que sabem quem é o pai, vivem juntas mas não se casam, isso não pode passar assim ou iremos a bancarrota, muitos irão se aproveitar dessa lei absurda

  9. Daiana TESSARI Oliveira Diz

    Sou a favor da aprovação do benefício a mães solteiras, pois, não temos onde deixar nossos filhos, em idade escolar, para trabalhar, pois, as escolas atendem meio turno, precisamos estar disponíveis para nossos filhos no turno inverso ao da escola e também para leva Los e busca Los na escola, e os de creche, as creches estão atendendo meio turno devido a redução de alunos nas turmas devido a pandemia, e o mesmo problema dos alunos em idade escolar, disponibilidade de Maio turno e para leva Los e busca Los na creche e durante as férias escolares e das creches e outro problema, não temos onde deixa los

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.