Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

1/5 - (1 vote)

NOVA extensão do auxílio emergencial até março de 2021 PROTOCOLADA

A incerteza sobre os pagamentos do auxílio emergencial em 2021 só aumenta com a chegada do fim de dezembro. Por conta disso, um novo projeto de lei (PL) que propõe a extensão do auxílio emergencial e a prorrogação do estado de calamidade pública até 31 de março de 2021. A ideia é do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE).

O projeto foi protocolado nesta semana. De acordo com o senador, já existem conversas com outros parlamentares sobre a iniciativa, mas ainda não há previsão para sua inclusão na pauta da Casa.

O auxílio emergencial e estado de calamidade pública estão previstos para terminar, juntos, em 31 de dezembro de 2020. O projeto apresentado pelo Senador Vieira propõe que esse prazo seja prorrogado até março de 2021 por conta dos impactos econômicos causados pela pandemia do novo coronavírus. Sobretudo, ainda, que a pandemia continua e que a vacinação levará um tempo ainda indefinido para ser concluída.

“O fato é que, por conta da inércia do governo federal, simplesmente não teremos um programa nacional de vacinação em execução antes de março. É preciso fazer essa ponte para manter o mínimo de estabilidade social até lá”, disse o senador.

Os parlamentares tentarão votar na quarta-feira, 16 de dezembro, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) diretamente em plenário em sessão do Congresso. Após isso, os congressistas devem voltar às suas bases para as festas de fim de ano.

O auxílio emergencial, aprovado em março no Congresso, foi pago inicialmente por 3 meses com o valor de R$600 aos chamados vulneráveis. Após isso, o benefício foi estendido por mais 2 meses, com o mesmo valor. Por fim, em setembro, o benefício foi estendido em mais 4 parcelas até dezembro de 2020.

O Governo Federal chegou e estipular a criação de um novo programa de renda permanente, com valores maiores que os pagos pelo Bolsa Família, mas até o momento não foi possível incorporar o tema.

O que diz o Governo sobre extensão do auxílio emergencial

Nesta semana, o presidente Jair Bolsonaro voltou a confirmar que o auxílio emergencial não será prorrogado. Além disso, o chefe do executivo confirmou que não será criado um novo programa de distribuição de renda e afirmou que a ideia é “aumentar um pouquinho” o atual programa assistencial Bolsa Família.

Segundo Bolsonaro, o auxílio pago a vulneráveis por causa da crise provocada pela Covid-19 tem caráter emergencial. Segundo ele, o Brasil conta com uma capacidade de endividamento e não pode se “desequilibrar”.

“Quem falar em Renda Brasil, eu vou dar cartão vermelho, não tem mais conversa”, disse Bolsonaro em entrevista ao apresentador José Luiz Datena, da TV Band. O Renda Brasil era o programa previsto pelo Governo para substituir o Bolsa Família.

“Auxílio é emergencial, o próprio nome diz: é emergencial, Não podemos ficar sinalizando em prorrogar e prorrogar e prorrogar”, disse o presidente, acrescentando que “acaba agora em dezembro”.

Ao se referir que agora o foco será o Bolsa Família, Bolsonaro confirmou o que tem falado para a equipe econômica: “Vamos tentar aumentar um pouquinho isso aí.”

O presidente argumentou, ainda, que o país tem que manter as contas em ordem para evitar aumento da inflação, “o imposto mais danoso que existe para todo mundo,” disse ele.

Veja também: Auxílio de R$300 liberado hoje aos brasileiros; VEJA como receber em sua cidade

1/5 - (1 vote)

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

8 Comentários
  1. Geny Rodrigues Diz

    Porque esses governantes tenque ganhar tanto assim
    Será q eles consegue viver com 300 reais por mês ou sustentar seus filhos com 600 reais por mes isso se chama desumanidade eles têm tanto e tanta gente passando fome num país tão rico pois abaixem o ordenado deles um pouco e ajudem quem prescisa sao tempos de pensar nas outras pessoas mais nessecitadas e ñ pensa em viagem ,roupas caras,carros novos vcs governates do nosso país sejam humanos e liberem mais auxílio ,pois esse dinheiro q vcs dão pros mais nessecitadas fica no país mesmo eles volta pros cofres públicos pois com o valor q tá as coisa pra gente se alimentar esse dinheiro mal da pra comer Deus abençoe a todos nós se o corona virus ñ matar a fome mata…

  2. Rosária Alves silva Diz

    Tenho 59 anos naó tenho renda nenhuma. Cm Vou comer pagar conta.servico naó consegui .pandemia.problema de saúde. Muito difícil. *

  3. Adriana Monteiro Diz

    Engraçado isso né,é emergencial?e por acaso a pandemia acabou,Está cada dia pior,Muito fácil né Sr presidente não te falta nada,vai deixar os brasileiros com fome sem auxilio?

  4. Márcio Tristão Diz

    Deputados e demais autoridades do alto escalão, e não são poucos considerando o tamanho do Brasil, ganham acima de 30 mil por mês sem contar outros benefícios. Como não tem dinheiro, como não tem recursos. É só distribuir melhor. Se reduzir 500 reais dessa turma dava para estender o auxílio de 600 reais tranquilamente, pelo ao menos durante a pandemia!

    1. ANDERSON LINS Diz

      Acho que essa sua conta aí não bate não, ou vc acha que só umas Mil pessoas recebem esse benefício, “dá pra pagar com tranquilidade”, não sei que tranquilidade é essa😂😂😂

    2. Geny Rodrigues Diz

      Verdade Eu acho uma falta de senso dos nossos governantes são época de ajuda é uns ganhando tanto é outros pensando como sustentar seus filhinhos só Deus por nós pois o serumano é sem coração 😭😭😭

  5. Maria Cristina da Silva Diz

    Meu filho teve o auxílio emergencial cortado porque carimbaro sua carteira de trabalho não teve trabalho do meados de outubro até hoje só chama quando tem trabalho não tem vínculo não contribui com inss

  6. Joana Darc de Araújo Silva leal Diz

    Preciso q resolva meu auxílio emergencial esta extensão

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.