Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Governo prorroga pagamento de tributos federais por causa da covid-19

A prorrogação do prazo para pagamento de tributos federais ocorre em virtude da emergência de saúde do novo coronavírus.

Na sexta-feira (03), o governo federal formalizou, no Diário Oficial da União (DOU), a prorrogação do prazo para pagamento de tributos federais em virtude da emergência de saúde do novo coronavírus.

Assinada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, a portaria diz que contribuições previdenciárias devidas por empresas e empregadores domésticos, referentes a março e abril, agora poderão ser recolhidas em julho e setembro, respectivamente. A prorrogação também será válida para a contribuição para PIS/Pasep e Cofins, com os pagamentos dos valores devidos em março e abril transferidos para julho e setembro.

“São R$ 80 bilhões que estarão disponíveis nos caixas das empresas”, disse o secretário da Receita, José Barroso Tostes Neto, durante o anúncio da medida na quarta-feira.

Foi também prorrogado o prazo de apresentação das Escriturações Fiscais Digitais de PIS/Pasep, Cofins e da Contribuição Previdenciária sobre a Receita (EFD-Contribuições) de abril, maio e junho para o 10º dia útil do mês de julho, inclusive nos casos de extinção, incorporação, fusão e cisão total ou parcial.

O Diário Oficial publica também a instrução normativa da Receita Federal que adia o prazo de entrega da Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF) referentes a abril, maio e junho para o 15º dia útil do mês de julho deste ano.

Acesse Agora as Principais Notícias no Brasil e fique atualizado

Declaração IRPF adiada

Devido às dificuldades decorrentes da pandemia do novo coronavírus, o governo prorrogou por dois meses o prazo de entrega da declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física. A declaração que deveria ser entregue até 30 de abril, passará para 30 de junho.

Entidades como a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e os próprios auditores fiscais haviam pedido a prorrogação do prazo de entrega do IR.

O secretário da Receita Federal, José Barroso Tostes Neto, também anunciou que o governo vai zerar a alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) que incide sobre operações de crédito por 90 dias e o adiamento do pagamento de tributos federais para empresas.

Segundo Tostes, 27% dos contribuintes já entregaram a declaração. “Contribuintes relatam dificuldades de acesso a documentos necessários para declaração do IR, por isso tomamos essa decisão”, concluiu o secretário.

Quanto à desoneração do IOF, segundo o secretário, será usada para diminuir o preço das linhas de financiamento que estão sendo abertas para reduzir o impacto econômico da pandemia. A medida custará R$ 7 bilhões ao governo.

Também foram prorrogados os pagamentos das contribuições para o PIS/Pasep e a Cofins e da contribuição patronal devidos entre abril e maio. As empresas poderão fazer o recolhimento entre os meses agosto e outubro. “São R$ 80 bilhões que estarão disponíveis nos caixas das empresas”, completou o secretário.

Veja também: Imposto de Renda 2020: Devo declarar mais cedo ou mais tarde? Saiba!

Leia Também:

brasil 123  

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Obrigado por se cadastrar nas Push Notifications!

Quais os assuntos do seu interesse?