Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Auxílio de R$600: Saiba como o Governo vai fazer para pagar aos trabalhadores

Em coletiva de imprensa no Palácio do Planalto, Onyx afirmou que o pagamento será feito através de bancos federais.

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, afirmou que os trabalhadores informais que estão à margem de qualquer cruzamento de dados do governo vão poder utilizar uma “solução tecnológica” para receber os R$ 600 de auxílio a autônomos (trabalhadores sem carteira).

Em coletiva de imprensa no Palácio do Planalto, Onyx afirmou que o pagamento será feito através de bancos federais. Segundo ele, Caixa, Banco do Brasil, Banco da Amazônia, Banco do Nordeste, agências lotéricas e Correios vão fazer o pagamento do auxílio emergência de R$ 600.

Aqueles que puderem fazer uso do ao benefício serão buscados pelo governo através do banco de dados do Cadastro Único e por “informações dadas em sistema que será anunciado brevemente”.

Depois de ser aprovado pelo Senado, o auxílio de 600 reais ainda vai ter de passar por sanção presidencial, decreto regulamentador e Medida Provisória (MP) de crédito extraordinário para permitir que recursos cheguem às pessoas, acrescentou Onyx.

Senado aprovou projeto por unanimidade

Acesse Agora as Principais Notícias no Brasil e fique atualizado

Senado Federal aprovou, através de sessão virtual, o projeto que prevê o repasse de nada menos que R$600 mensais aos trabalhadores informais. O projeto, aprovado na Casa por 79 votos a zero, ou seja, por unanimidade, foi motivado por conta da pandemia do novo coronavírus. Os pagamentos serão realizados por três meses, com possibilidade de prorrogação.

O projeto do governo federal previa, inicialmente, o valor de R$200 mensais. Antes da proposta chegar ao Congresso, o presidente Bolsonaro resolveu alterar o valor para R$600. De acordo com o presidente, o aumento foi negociado com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e com o deputado Vitor Hugo (PSL-GO), líder do governo na Câmara, onde o projeto é analisado.

“Conversei com o Paulo Guedes, o major (Vitor Hugo) também conversou, e o Paulo Guedes resolveu triplicar esse valor. A gente sabe que R$ 200 é pouco, R$ 600 dá uma ajuda pra quem perdeu o emprego, né… Os informais que perderam sua atividade. Então, dei o sinal verde”, disse Bolsonaro, durante live nas redes sociais.

A proposta foi aprovada pela Câmara dos Deputados na semana passada. Agora, o texto segue para sanção do presidente Jair Bolsonaro.

O projeto garante até R$ 1.200 por família no prazo de três meses durante a crise do coronavírus, já que a quantia será limitada a duas pessoas da mesma família.

A proposta foi aprovada pela Câmara dos Deputados na semana passada. Agora, o texto segue para sanção do presidente Jair Bolsonaro. A proposta garante até R$ 1.200 por família no prazo de três meses durante a crise do coronavírus, já que a quantia será limitada a duas pessoas da mesma família.

Sobre o auxílio “coronavoucher”

De acordo com o texto, a trabalhadora informal que for mãe e chefe de família vai ter direito a duas cotas do auxílio emergencial, ou seja, vai receber R$1.200 mensais, durante três meses.

A proposta conta com uma série de requisitos para que o autônomo tenha direito ao auxílio, apelidado por alguns parlamentares de “coronavoucher”. Segundo a Instituição Fiscal Independente (IFI), ligada ao Senado, o auxílio emergencial vai custar R$59,8 bilhões aos cofres públicos.

O relator da proposta no Senado, Alessandro Vieira (do Partido Cidadania-SE), propôs algumas mudanças no texto do projeto que não forçam o reenvio do texto para a Câmara dos Deputados.

Uma das mudanças sugeridas por Vieira prevê que o valor seja pago em três prestações mensais, para garantir que a ajuda seja concedida ainda que haja atraso no cadastro dos beneficiários.

Leia Também:

brasil 123  
10 Comentários
  1. Tateana Marcos medeiros Diz

    Olá sou viúva e ganho 389 por mas é estou desempregada, eu tenho o direito ,tenho uma filha e neta

  2. MARIZETE SILVA DE LIMA Diz

    Sou chefe de família moro com meu filho trabalho de carteira assinada mas estou em quarentena porque trabalho no colégio e agora vamos ter nossos contratos suspensos por 60 dias tenho direito no auxílio do governo? Eu sou cadastrada no bolsa família só não recebo por causa da minha renda.

  3. Janete Teresinha Jung dos Santos Diz

    olá, sou faxineira e não tenho carteira assinada e não pago INSS, sou do lar, tenho direito ao auxílio emergencial?

  4. Ronaldo cavalcante Diz

    App ja esta na loja pra ser abaixado

  5. Oseias Junio Martins Diz

    Os direitos garantidos ao povo são conquistas aos que precisam. Estamos em quarentena em casa por recomendação do Ministério da Saúde, por nosso Presidente a crise estaria pior. Deixe a Saúde com quem entende de saúde, economia com o Guedes. Bolsonaro precisa ouvir mais pra aprender um pouco.

    1. TÂNIA Diz

      Sou mãe solteira tenho 2 filhos trabalho registrada .ganho 1.500 .pago aluguel 600 reais poso pegar

    2. TÂNIA Diz

      Sou mãe solteira tenho 2 filhos trabalho registrada .ganho 1.500 .pago aluguel 600 reais poso pegar ainda meu patrão mandou ficar 2 semanas en casa

  6. Maria da Conceição Diz

    Sou diarista mas não tenho carteira assinada ,mas pago meu INSS todo mês,,eu tenho direito de receber esses 600 reais

  7. Silvana da Silva Diz

    So uma pergunta tenho a carteira assinada mais ñ ganho nem um salario mínimo o valor e de 750 e sou chefe de FAMÍLIA moro eu e minhas 2 filhas tenho direito a esse benefício

  8. Eduardo Coelho Diz

    Desde já agradeço muito ao presidente,por se compadecer do seu povo, numa hora tão difícil… Que Deus nos proteja sempre e dê vida longa ao nosso presidente.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Obrigado por se cadastrar nas Push Notifications!

Quais os assuntos do seu interesse?