Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Mototaxistas podem retirar cestas básicas. Veja quem pode pegar

De acordo com informações oficiais, mototaxistas irão passar a receber a cesta básica de forma mensal para ajudar neste momento de dificuldade

A Prefeitura da cidade de Salvador, na Bahia, começou nesta semana a entrega de cestas básicas para mototaxistas. De acordo com informações oficiais, cerca de 300 profissionais da área irão receber essa comida mensalmente. A ideia é justamente ajudar esses trabalhadores neste momento de dificuldade para muita gente.

De acordo com a Prefeitura de Salvador, apenas os mototaxistas que possuem credencial da cidade é que poderão pegar as cestas. Segundo as informações oficiais, isso dá uma totalidade de 300 profissionais. Eles precisam pegar esses alimentos na sede do Semob, que fica em Amaralina, na capital baiana.

Para tentar organizar a entrega, a Prefeitura lançou uma espécie de calendário escalonado. Por isso, cada mototaxista precisa prestar atenção no seu número de alvará. É que os seus algarismos finais definem o dia do recebimento do material.

Veja abaixo:
Segunda (20): M-0001 a M-300
Terça (21): M-301 a M600.
Quarta (22): M-601 a M-900
Quinta (23): M-901 a M-1269
Sexta (24): Todos que não conseguiram pegar nos dias anteriores.

Ainda de acordo com informações da Prefeitura da cidade, a ideia é que esses profissionais se dirijam para a sede da Semob entre as 8h e às 11h30, ou entre 13h30 e 16h. Então eles podem escolher qual dos dois turnos seria a melhor opção para pegar o material em questão.

Chegando lá, é preciso entrar com máscara por causa do processo de proteção contra a Covid-19. Também é importante levar um documento original com foto como RG ou mesmo a CNH. Também é importante mostrar o alvará ou cartão de identificação. Em caso de roubo de algum desses documentos, o mototaxista precisa levar o Boletim de Ocorrência (BO).

Cestas básicas

Alguns municípios e estados estão preferindo fazer esse tipo de pagamento direto de auxílios. É que se entende que entregar a cesta básica diretamente para o usuário faz diminuir a quantidade de fraudes no programa.

Em alguns locais, por exemplo, os governantes estão fazendo pagamentos com cartões. E esse dinheiro estaria funcionando como um passe para que o usuário compre apenas itens necessários como comida e materiais de higiene e de limpeza.

De acordo com informações do Tribunal de Contas da União, o Governo Federal perdeu bilhões de reais no ano passado. Tudo por causa de fraudes em seu Auxílio Emergencial. Estados e municípios temem que esses golpes possam acontecer em seus programas também.

Milhões de pessoas

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 30 milhões de brasileiros recebem até, no máximo, um salário mínimo. Esse é um dado que está preocupando muita gente neste momento.

Isso porque a pandemia do novo coronavírus ainda não chegou ao fim no Brasil. A doença segue fazendo vítimas e o número de pessoas que não estão conseguindo emprego também assusta. São usuários que estão com dificuldades para comprar itens básicos.

Aliás, outro ponto em toda essa história é que o custo de vida no Brasil está subindo. O próprio Ministro da Economia, Paulo Guedes, admitiu isso em uma entrevista recente. De acordo com ele, os vulneráveis “ficaram para trás”.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.