Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Ministro Luiz Fux divulga calendário e principais temas das sessões do primeiro semestre de 2021

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, divulgou, na última quinta-feira (17/12), o calendário de julgamentos das 37 sessões plenárias previstas para o primeiro semestre de 2021

Assim, entre os processos pautados, estão questões relacionadas ao direito ao esquecimento; à Lei que disciplina o direito de resposta; à liberdade de imprensa; à publicidade infantil; e à integração do rio São Francisco. 

Do mesmo modo, o ministro garantiu prioridade aos casos relacionados à pandemia de Covid-19.

Liberdades civis e econômicas

A pauta de julgamentos privilegiou a concretização das liberdades civis e econômicas, como, por exemplo, o direito ao esquecimento, o direito de resposta em periódicos jornalísticos, a comercialização de bebidas alcoólicas em rodovias e em estádios, a regulamentação de jogos de azar, as restrições resultantes da propriedade intelectual e as cotas de produções nacionais nos empreendimentos audiovisuais.

Crescimento econômico e direitos humanos

Com o objetivo de retomar o crescimento econômico e o desenvolvimento nacional, foram assegurados na pauta temas focados nos setores regulados, especialmente sobre as telecomunicações, os transportes e os medicamentos.

Já em atenção aos direitos humanos, destacam-se os casos sobre os limites da publicidade infantil e sobre o cabimento de indenização por condições sub-humanas em presídios.

Gestão pública

No que se refere à gestão pública, o Supremo julgará casos sobre a modernização e a pluralização das formas de contratação de pessoal, de bens e de serviços. 

Nesse sentido, foram pautadas discussões sobre a necessidade de licitação para serviços advocatícios e sobre o processo de demissão em empresas estatais.

Direito processual

Com relação à matéria de Direito Processual, o Plenário analisa as controvérsias de aplicação e de interpretação: a extensão do Processo Civil aos procedimentos administrativos nos Estados; os deveres de apuração de valores da União na condição de parte executada; a competência jurisdicional para a ação rescisória; e as medidas coercitivas suficientes à imposição de ordens judiciais. 

Além disso, será retomado o julgamento sobre a forma como deve se dar o depoimento do presidente da República no âmbito do Inquérito 4831.

Segurança jurídica e transparência

Com a divulgação antecipada da pauta, o ministro Fux garante segurança jurídica e transparência além de reafirmar a relevância da previsibilidade das ações do STF tanto para operadores do Direito quanto para a sociedade.

Dessa forma, permitindo que todos os interessados (instituições, pessoas físicas, organizações não governamentais, etc.) se mobilizem em torno dos temas debatidos.

Veja os destaques da pauta de julgamento para o primeiro semestre de 2021:

Fevereiro/2021

Direito ao esquecimento (03/02 – RE 1010606 ) – Com repercussão geral reconhecida, o tema do RE diz respeito a familiares da vítima de um crime praticado nos anos 1950 que questionam sua utilização em programa televisivo. Relator: Ministro Dias Toffoli

Tributação sobre software (04/02 – ADI 1945) – A ação aponta inconstitucionalidade de dispositivos da Lei Estadual 7.098/1998 de Mato Grosso (MT), que consolida normas referentes ao ICMS, por bitributação e invasão da competência municipal. Relatora: Ministra Cármen Lúcia

Tributação sobre software (04/02 – ADI 5659) – A ação questiona o Decreto Estadual 46.877/2015 de Minas Gerais e outros diplomas legais. Relator: Ministro Dias Toffoli

ICMS (04/02 – ADI 5469) – Ação ajuizada contra as cláusulas do Convênio ICMS 93/2015 do Conselho Nacional de Política Fazendária, que tratam dos procedimentos a serem observados nas operações e prestações que destinem bens e serviços a consumidor final não contribuinte do ICMS, localizado em outra unidade federada. Relator: Ministro Dias Toffoli

ICMS (04/02 – RE 1287019) – RE contra decisão do TJDFT, que entendeu que a cobrança do Diferencial de Alíquota do ICMS, acrescentado à Constituição Federal pela Emenda Constitucional 87/2015, não está condicionada à regulamentação de lei complementar. Relator: Ministro Marco Aurélio

Bebidas alcoólicas em rodovias (10/02 – ADIs 4017 e 4103) – As ações questionam a constitucionalidade de norma que proíbe venda de bebidas alcoólicas nas rodovias federais. Relator: Ministro Luiz Fux

Transporte terrestre coletivo (11/02 – ADI 5549) – Ação contra dispositivo da Lei 12.996/2014 que alterou a Lei 10.233/2001, que dispõe sobre a reestruturação dos transportes aquaviário e terrestre. Relator: Ministro Luiz Fux

Transporte terrestre (11/02 – ADI 6270) – Ação aborda a validade de normas que permitem o oferecimento de serviços interestaduais de transporte terrestre coletivo de passageiros sem procedimento licitatório prévio, mediante simples autorização. Relator: Ministro Luiz Fux

Oitiva de presidente da República (24/02 – Inq 4831) – Trata do depoimento do presidente da República para esclarecimento de fatos investigados no Inquérito. Relator: Ministro Alexandre de Moraes

Março/2021

Liberdade econômica e artística (03/03 – RE 627432) – O recurso discute a constitucionalidade da chamada “cota de tela”, relativa à norma sobre a obrigatoriedade de exibição de filmes nacionais nos cinemas brasileiros por determinados períodos. Relator: Ministro Dias Toffoli

Gestão pública (03/03 – ADI 5664) – Questiona leis complementares do Estado do Espírito Santo (ES) que autorizam a contratação temporária de pessoal pelo Poder Executivo para empregos na área da saúde, sob o argumento de que a medida é necessária para atender a necessidades urgentes e excepcionais. Relator: Ministro Marco Aurélio

Gestão pública (04/03 – ADI 2135) – Ação pede declaração de inconstitucionalidade de dispositivo da Emenda Constitucional (EC) 19/1998 que retirava da Constituição Federal a obrigação de que os entes federados criassem o Regime Jurídico Único (RJU) e planos de carreira para servidores da administração pública direta, das autarquias e das fundações públicas. Relatora: Ministra Cármen Lúcia

Direito de Resposta (10/03 – ADIs 5436, 5418 e 5415) – Ações questionam dispositivos da Lei 13.188/2015 (Lei do Direito de Resposta). Relator: Ministro Dias Toffoli

Código Brasileiro de Aeronáutica (11/03 – ADI 5667) – Ação questiona dispositivos do Código Brasileiro de Aeronáutica sobre acesso a informações sobre acidentes. Relator: Ministro Nunes Marques

Importação de medicamentos (17/03 – RE 979962) – Discute a constitucionalidade da pena prevista no artigo 273 do Código Penal (10 a 15 anos de reclusão) para as pessoas que importam medicamentos sem registro sanitário. A matéria tem repercussão geral reconhecida. Relator: Ministro Roberto Barroso

Propaganda eleitoral paga (17/03 – ADI 6281) – Ação contra restrições impostas pela Lei 9.504/1997 (Lei das Eleições) – à veiculação de propaganda eleitoral paga em jornais impressos. Relator: Ministro Luiz Fux

Medidas coercitivas (18/03 – ADI 5941) – Discussão sobre a constitucionalidade da apreensão a Carteira Nacional de Habilitação e/ou a suspensão do direito de dirigir, da apreensão de passaporte e da proibição de participação em concurso público e em licitação pública como medidas para assegurar o cumprimento de ordem judicial. Relator: Ministro Luiz Fux

Publicidade infantil (24/03 – ADI 5631) – Discute a constitucionalidade da Lei Estadual 13.582/2016 da Bahia, que proíbe a publicidade dirigida a crianças, de alimentos e bebidas pobres em nutrientes e com alto teor de açúcar, gorduras saturadas ou sódio. Relator: Ministro Edson Fachin

Telecomunicações (25/03 – ADI 4924) – A ação tem por objeto a Lei Estadual 17.107/2012 do Paraná, que prevê penalidades ao responsável pelo acionamento indevido dos serviços telefônicos de atendimento a emergências envolvendo remoções ou resgates, combate a incêndios, ocorrências policiais ou atendimento de desastres (trote telefônico). Relator: Ministro Gilmar Mendes

Abril/2021

Jogos de azar (07/04 – RE 966177) – O julgamento aborda a tipicidade das condutas de estabelecer e explorar jogos de azar, afastada pelo acórdão recorrido fundado nos preceitos da livre iniciativa e das liberdades fundamentais. O tema foi considerado de repercussão geral em novembro de 2016. Relator: Ministro Luiz Fux

ICMS em operações interestaduais (07/04 – ADI 5439) – A ação dispõe sobre os procedimentos a serem observados nas operações e prestações que destinem bens e serviços a consumidor final não contribuinte do ICMS, localizado em outra unidade da federação. Relatora: Ministra Cármen Lúcia

ICMS incidente sobre mercadorias importadas (07/04 – ADI 4858) – Ajuizado pela Assembleia Legislativa do Espírito Santo (ALES), o caso questiona a redução das alíquotas interestaduais de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) incidente sobre mercadorias importadas. Relator: Ministro Ricardo Lewandowski

Gestão Pública (08/04 – ADI 4844) – Julgamento sobre dispositivos da Constituição estadual de Minas Gerais (MG) que tratam da fixação do quadro de emprego das empresas públicas e sociedades de economia mista. Relatora: Ministra Cármen Lúcia

Controle de dados por provedores de internet (14/04 – ADC 51) – A Ação Declaratória de Constitucionalidade discute o controle de dados de usuários por provedores de internet no exterior como exposto em Acordo de Assistência Judiciário-Penal firmado entre o Brasil e os Estados Unidos. Relator: Ministro Gilmar Mendes

Novas relações de trabalho (15/04 – ADI 5625) – Essa norma dispõe sobre o contrato de parceria entre profissionais que exercem as atividades de cabeleireiro, barbeiro, esteticista, manicure, pedicure, depilador, maquiador e pessoas jurídicas registradas como salão de beleza. Relator: Ministro Edson Fachin

Separação dos Poderes (22/04 – RE 887671) – Com repercussão geral reconhecida, o Supremo decide se o Poder Judiciário pode determinar à Administração Pública o preenchimento de cargo de defensor público em localidades desamparadas. Relator: Ministro Marco Aurélio

Dispensa de empregados de estatais (28/04 – RE 688267) – Processo que trata da dispensa de empregado de empresa pública e de sociedade de economia mista admitido por concurso público. O caso teve repercussão geral reconhecida pelo Supremo. Relator: Ministro Alexandre de Moraes

Maio/2021

CPC (05/05 – ADIs 5492 e 5737) – Ações ajuizadas pelo estado do Rio de Janeiro e o Distrito Federal contra dispositivos da Lei Federal 13.105/2015, que instituiu o novo Código de Processo Civil. Relator: Ministro Dias Toffoli

Competência da Justiça Federal para ação rescisória (05/05 – RE 598650) – O Supremo julga recurso com repercussão geral em que se discute a amplitude da competência da Justiça Federal para julgar ações rescisórias de interesse da União. Relator: Ministro Marco Aurélio

Comercialização dos anorexígenos (12/05 – ADI 5779) – Julgamento de Lei que autoriza a produção, a comercialização e o consumo dos anorexígenos sibutramina, anfepramona, femproporex e mazindol. Relator: Ministro Nunes Marques

Cálculo em processos em que a União é ré (12/05 – ADPF 219) – A Presidência da República questiona decisões proferidas pelos Juizados Especiais Federais que impõem à União o dever de apurar ou indicar, nos processos em que figure como ré ou executada, o valor devido à parte autora. Relator: Ministro Marco Aurélio

Edição de fases de processo licitatório (13/05 – RE 1188352) – o Supremo reconheceu a existência de repercussão geral no processo onde se discute a competência legislativa para editar normas sobre a ordem de fases de processo licitatório. Relator: Ministro Luiz Fux

Comercialização de testes psicológicos (19/05 – ADI 3481) – Ação que questiona dispositivos de resolução do Conselho Federal de Psicologia que restringem a profissionais inscritos na entidade a comercialização e o uso de manuais de testes psicológicos. Relator: Ministro Alexandre de Moraes.

Direito à creche (19/05 – RE 1008166) – O recurso discute o dever estatal de assegurar o atendimento em creche e pré-escola às crianças de zero a 6 anos de idade. Relator: Ministro Luiz Fux

Integração do rio São Francisco (20/05 – ACO 1003) – Ação Popular contra o projeto de integração do rio São Francisco para o semi-árido nordestino com requerimento para a imediata paralisação da implementação. Relator: Ministro Edson Fachin

Lei de Propriedade Industrial (26/05 – ADI 5529) – Ação questiona dispositivo que possibilita a abertura de prazo indeterminado para a vigência de patentes de invenção e de modelos de utilidade. Relator: Ministro Dias Toffoli

Patente “pipeline” (26/05 – ADI 4234) – O Supremo julga a inconstitucionalidade de dispositivos da Lei da Propriedade Industrial brasileira que tratam das patentes “pipeline”, também conhecidas como patentes de revalidação, mecanismo que visa conceder patente a produtos que não eram patenteáveis antes da lei de 1996 e que já estavam no domínio público brasileiro. Relatora: Ministra Cármen Lúcia

Junho/2021

ICMS em conta de energia (02/06 – ADI 3973) – Contesta o Convênio ICMS 60/07, que autoriza os estados da Bahia e de Rondônia a conceder isenção de ICMS na parcela da tarifa de energia elétrica subsidiada pelo governo. Relator: Ministro Luiz Fux

Liberdade de imprensa (09/06 – RE 1209429) – Com repercussão geral reconhecida, o RE trata da responsabilidade civil do Estado em relação a profissional da imprensa ferido pela polícia, em situação de tumulto, durante cobertura jornalística. Relator: Ministro Marco Aurélio

Regulação de produtos agrotóxicos (10/06 – ADPF 221) – Questiona legislação do Rio Grande do Sul sobre o cadastramento, a distribuição e a comercialização de produtos agrotóxicos e biocidas no território estadual. Relator: Ministro Dias Toffoli

Lei de Licitações (16/06 – ADC 45) – Ação pede declaração de constitucionalidade dos dispositivos da Lei de Licitações que permitem a contratação de advogados por entes públicos pela modalidade de inexigibilidade de licitação. Relator: Ministro Roberto Barroso

Serviços jurídicos (16/06 – REs 610523 e 656558) – Recursos sobre a possibilidade de dispensa de licitação para contratação de serviços jurídicos por entes públicos. Relator: Ministro Dias Toffoli

Acordo coletivo de trabalho (17/06 – ADPF 323) – Discussão se cláusulas normativas dos acordos coletivos ou convenções coletivas integram os contratos individuais de trabalho ou se somente podem ser modificados ou suprimidos por meio de novo acordo ou convenção coletiva. Relator: Ministro Gilmar Mendes

Acordo coletivo de trabalho (17/06 – ADPF 381) – Questionamento de decisões que declararam inválidos dispositivos de convenções coletivas pactuadas entre transportadoras e motoristas, bem como condenaram empregadores ao pagamento de horas extras e de horas trabalhadas em dias de descanso, em situações ocorridas antes da vigência da Lei nº 12.619/2012, que disciplinou os direitos e deveres dos motoristas profissionais. Relator: Ministro Gilmar Mendes

Norma coletiva de trabalho (17/06 – ARE 1121633) – Aborda validade da norma coletiva de trabalho que limita ou restringe direito trabalhista não assegurado pela Constituição Federal Relator: Ministro Gilmar Mendes

CPC (23/06 – ADI 5186) – Ação contesta o parágrafo 5º do artigo 739-A do Código de Processo Civil (CPC), introduzido pela Lei 11.382/2006, que trata dos embargos à execução. Relatora: Ministra Cármen Lúcia

Reforma Trabalhista (30/06 – ADI 5870) – Contesta dispositivos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), alterados em decorrência da Reforma Trabalhista (Lei 13.467/2017) e, posteriormente, pela edição da Medida Provisória (MP) 808/2017. Relator: Ministro Gilmar Mendes

Reforma Trabalhista (30/06 – ADI 6050) – Ação tem por objeto as novas regras da CLT relativas às reparações de danos de natureza extrapatrimonial decorrentes da relação de trabalho. Relator: Ministro Gilmar Mendes

Reforma Trabalhista (30/06 – ADIs 6069 e 6082) – Ações questionam alterações promovidas pela Lei 13.467/2017 na Consolidação das Leis do Trabalho referentes à reparação por danos morais decorrentes da relação de trabalho. Relator: Ministro Gilmar Mendes

Fonte: STF

Veja mais informações e notícias sobre o mundo jurídico AQUI

Avalie o Texto.
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.