Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Maré vermelha: Entenda suas causas e os efeitos

Maré vermelha” é o nome comum para o que os cientistas agora preferem chamar de “proliferação de algas prejudiciais”.

A proliferação de algas nocivas é a proliferação repentina de uma ou mais espécies de plantas microscópicas (algas ou fitoplâncton), que vivem no oceano e produzem neurotoxinas que podem causar efeitos negativos e às vezes fatais em peixes, pássaros, mamíferos marinhos e até mesmo humanos.

Existem aproximadamente 85 espécies de plantas aquáticas que podem causar florescimento de algas nocivas. Em altas concentrações, algumas espécies podem tornar a água de uma cor avermelhada, que é a origem do nome “maré vermelha”.

Outras espécies podem tornar a água verde, marrom ou roxa, enquanto outras, embora altamente tóxicas, não alteram a cor da água.

A maioria das espécies de algas ou fitoplâncton são benéficas, não prejudiciais. Eles são elementos essenciais na base da cadeia alimentar global. Sem eles, as formas de vida superiores, incluindo os humanos, não existiriam e não poderiam sobreviver.

Causas humanas

As marés vermelhas acontecem por conta da rápida multiplicação de dinoflagelados, um tipo de fitoplâncton. Não há uma causa única para as marés vermelhas ou outras proliferações de algas prejudiciais, embora uma nutrição abundante deva estar presente na água do mar para suportar o crescimento explosivo de dinoflagelados.

Uma fonte comum de nutrientes é a poluição da água. Os cientistas geralmente acreditam que a poluição costeira de esgoto humano, escoamento agrícola e outras fontes contribui para as marés vermelhas, juntamente com o aumento da temperatura do oceano.

Os cientistas correlacionaram o aumento das marés vermelhas do Pacífico e outras proliferações de algas prejudiciais, com um aumento na temperatura do oceano de aproximadamente um grau Celsius, bem como nutrientes aumentados em águas costeiras de esgoto e fertilizantes.

Por outro lado, as marés vermelhas e a proliferação de algas prejudiciais às vezes ocorrem onde não há ligação aparente com a atividade humana.

Efeitos na saúde humana

A maioria das pessoas que adoece devido à exposição às toxinas das algas prejudiciais o faz comendo frutos do mar contaminados, especialmente crustáceos. No entanto, as toxinas de algumas algas prejudiciais também podem infectar as pessoas, espalhando-se pelo ar.

Os problemas de saúde humana mais comuns associados às marés vermelhas e outras proliferações de algas prejudiciais são vários tipos de distúrbios gastrointestinais, respiratórios, assim como neurológicos.

As toxinas naturais das algas prejudiciais podem causar uma variedade de doenças. A maioria se desenvolve rapidamente após a exposição e é caracterizada por sintomas graves, como diarreia, vômito, tontura e dores de cabeça.

Boa parte das pessoas se recupera em poucos dias, embora algumas doenças sejam fatais.

Efeitos nas populações animais

A maioria dos moluscos filtra a água do mar para coletar seus alimentos. Enquanto comem, eles podem consumir fitoplâncton tóxico e acumular toxinas em sua carne, tornando-se eventualmente perigosos, até mesmo mortais, para peixes, pássaros, animais, assim como humanos. Os próprios moluscos não são afetados pelas toxinas.

A proliferação de algas nocivas e a subsequente contaminação de moluscos podem causar a matança massiva de peixes. Os peixes mortos continuam a representar um risco para a saúde após a sua morte devido ao risco de serem comidos por pássaros ou mamíferos marinhos.

E então, você já conhecia sobre a maré vermelha? Esse tema

Não deixe de ler também – Energia das Marés: O que estudar para o Enem

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.