Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Invenção da pólvora: o contexto e a descoberta acidental

Os chineses são os responsáveis pela criação artefato

Poucas substâncias na história tiveram um efeito tão profundo na história humana quanto a pólvora, mas sua descoberta na China foi um acidente.

Ao contrário do mito, não foi apenas usado para fogos de artifício, mas foi usado para fins militares desde a época da descoberta.

Eventualmente, esta arma secreta vazou para o resto do mundo medieval.

O contexto da invenção

Antigos alquimistas na China passaram séculos tentando descobrir um elixir da vida que tornaria o usuário imortal. Um ingrediente importante em muitos dos elixires fracassados ??era o salitre, também conhecido como nitrato de potássio.

Durante a Dinastia Tang, por volta de 850 DC, um alquimista empreendedor (cujo nome se perdeu na história) misturou 75 partes de salitre com 15 partes de carvão e 10 partes de enxofre.

Essa mistura não tinha propriedades perceptíveis de prolongamento da vida, mas explodiu com um clarão e um estrondo quando exposta a uma chama aberta.

De acordo com um texto daquela época, “resultam fumaça e chamas, de modo que as mãos e os rostos [dos alquimistas] foram queimados, e até mesmo toda a casa onde trabalhavam foi queimada”.

Uso de pólvora na China

Muitos livros de história ocidentais ao longo dos anos afirmam que os chineses usaram essa descoberta apenas para fogos de artifício, mas isso não é verdade. As forças militares da Dinastia Song já em 904 DC usaram dispositivos de pólvora contra seu principal inimigo, os mongóis.

Essas armas incluíam “fogo voador”, uma flecha com um tubo em chamas de pólvora preso ao cabo. As flechas de fogo voadoras eram foguetes em miniatura, que se lançavam nas fileiras inimigas e inspiravam terror entre homens e cavalos. Deve ter parecido magia terrível para os primeiros guerreiros que foram confrontados com o poder da pólvora.

Outras aplicações militares da pólvora Song incluíam granadas de mão primitivas, projéteis de gás venenoso, lança-chamas e minas terrestres.

As primeiras peças de artilharia eram tubos de foguetes feitos de brotos de bambu ocos, mas logo foram atualizados para metal fundido. O professor da Universidade McGill, Robin Yates, observa que a primeira ilustração de um canhão no mundo vem de Song China, em uma pintura de cerca de 1127 DC. Essa representação foi feita um século e meio antes de os europeus começarem a fabricar peças de artilharia.

O segredo vaza da China

Em meados do século XI, o governo Song começou a se preocupar com a disseminação da tecnologia da pólvora para outros países. A venda de salitre a estrangeiros foi proibida em 1076.

Mesmo assim, o conhecimento da substância milagrosa foi levado ao longo da Rota da Seda para a Índia, Oriente Médio e Europa. Em 1267, um escritor europeu fez referência à pólvora, e em 1280 as primeiras receitas da mistura explosiva foram publicadas no oeste. O segredo da China foi revelado.

Ao longo dos séculos, as invenções chinesas tiveram um efeito profundo na cultura humana. Itens como papel, bússola magnética e seda se espalharam por todo o mundo. Nenhuma dessas invenções, no entanto, teve o impacto que a pólvora tem, para o bem ou para o mal.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.