Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Home Office: maioria não recebe ajuda da empresa para pagar custos

De acordo com nova pesquisa, grande maioria dos trabalhadores que estão em home office não recebem ajuda de custo da empresa

Com a pandemia do novo coronavírus, muita gente passou a experimentar o trabalho remoto. É o formato de emprego que passou a ser conhecido popularmente como home office. É que como estamos falando de um vírus contagioso, muitas empresas prefeririam fazer com que os seus empregados trabalhassem das suas residências.

Mesmo depois de tanto tempo de pandemia, muitos funcionários continuam trabalhando de casa. Boa parte deles afirma que há grandes vantagens com essa modalidade de serviço. É que quase não há mais gastos com transporte, com alimentação e com outros custos. Por outro lado, uma pesquisa do site de empregos Indeed mostrou o outro lado da história.

De acordo com o levantamento, a grande maioria dos empregados que estão em home office não recebem ajuda de custo da empresa para as despesas na residência. Segundo a pesquisa, apenas 11% desses trabalhadores que ainda estão no trabalho remoto recebem uma ajuda de custo para pagar a eletricidade que se gasta em casa.

Principalmente neste momento, essa questão acabou virando uma preocupação ainda maior. Acontece que o Governo Federal acabou de anunciar que vai acontecer um novo aumento no valor da conta de luz. E quem trabalha em casa, certamente vai sentir ainda mais no bolso o peso dessa mudança.

Além disso, a mesma pesquisa mostrou também que apenas 18% desses trabalhadores que estão em home office recebem uma ajuda para o pagamento da internet ou mesmo do telefone. Esses empregados acreditam que deveriam receber essa ajuda justamente porque é com essa conexão que eles precisam trabalhar.

Lei do Home Office

O Brasil atualmente possui leis trabalhistas sobre a questão do teletrabalho. Só que de acordo com os principais especialistas, essas regras são antigas e não possuem a capacidade de abarcar o que está acontecendo com o mundo do trabalho nesta pandemia do novo coronavírus.

Em entrevista recente, o Ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Agra Belmonte, chegou a dizer que o Brasil precisa atualizar essa legislação. Ele disse ainda que o texto atual privilegia os patrões e prejudica os empregados.

No Congresso Nacional, existem vários projetos que tentam mudar a lei do teletrabalho no país. No entanto, o fato é que a grande maioria deles parou de andar por lá. Isso acabou portanto abrindo um vácuo neste problema.

Parte mais rica

De acordo com as principais pesquisas de institutos importantes, apenas uma parcela da população continua trabalhando em home office. E essa seria justamente a parte mais rica da sociedade. Pelo menos é o que os dados mostram.

Segundo esses levantamentos, a grande maioria das pessoas que ainda estão em home office, recebem mais do que 3 salários mínimos. Além disso, são indivíduos que possuem um alto grau de escolaridade prévio.

Há também uma divisão por cor. A grande maioria dos empregados que estão em home office são brancos. Enquanto isso, a maior parte dos trabalhadores que estão tendo que voltar ao trabalho presencial são negros. Pelo menos é o que mostram os dados oficiais.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.