Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Guedes confirma prorrogação de jornada reduzida por mais 60 dias

De acordo com o ministro, a medida foi a mais eficaz adotada pelo governo para preservar empregos durante a pandemia. 

Nesta sexta-feira (21), o ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou que o programa de suspensão de contratos de trabalho e de redução de jornada e de salário será prorrogado por dois meses.  

De acordo com o ministro, a medida foi a mais eficaz adotada pelo governo para preservar empregos durante a pandemia. 

“[Conseguimos] preservar 16 milhões de empregos gastando pouco mais de R$ 20 bilhões. O programa tem tanto sucesso que vamos estender por mais dois meses justamente para continuar preservando esses empregos enquanto a economia faz essa volta em V”, declarou o ministro em entrevista coletiva. 

Ainda, o ministro informou que novas medidas serão anunciadas pelo governo na próxima terça-feira (25), como o relançamento do programa de carteira de trabalho Verde Amarela, lançada no ano passado por meio de uma medida provisória que perdeu a validade, e do programa Renda Brasil, o novo Bolsa Família. 

Os programas fazem parte de um pacote de medidas que serão anunciadas pelo governo no início da próxima semana. Além das medidas para o mercado de trabalho, um programa habitacional também será lançado. 

Quem tiver o contrato de trabalho suspenso recebe do governo federal um valor de até R$1.813, além de uma ajuda de custo da própria empresa, caso o empregador tenha um faturamento superior a R$ 4,8 milhões.

O Benefício Emergencial abrange também empregados em regime de jornada parcial ou intermitentes, os empregados domésticos e os aprendizes. A redução da jornada e salário do empregado poderá ser de 25%, 50% ou 70%.

Este benefício será pago independentemente do cumprimento do período aquisitivo, do tempo de vínculo empregatício ou do número de salários recebidos. O empregado deve informar ao seu empregador em qual conta bancária de sua titularidade deseja receber o Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda.

Como receber o benefício emergencial?

O pagamento será realizado por crédito em conta poupança existente em nome do trabalhador ou em Conta Social Digital, aberta automaticamente pela CAIXA, quando:

  • não tiver sido informada conta no ato da adesão;
  • houver impedimento para o crédito na conta indicada;
  • houver erros nos dados da conta informada.

A movimentação da conta poupança social CAIXA poderá ser efetuada com o uso do aplicativo CAIXA Tem, disponível para download nas lojas Android e IOS. O benefício não poderá ser depositado em nome de terceiros.

Valor do benefício

O valor do Benefício Emergencial corresponde a um percentual do Seguro-Desemprego a que o trabalhador teria direito em caso de demissão, variando entre R$ 261,25 até R$ 1.813,03, conforme o percentual de redução acordado.

A suspensão de contrato de trabalho prevê o pagamento de 100% do valor do Seguro-Desemprego.

O trabalhador intermitente terá um Benefício Emergencial com valor fixo de R$ 600,00.

Avalie o Texto.

Veja o que é sucesso na Internet:

7 Comentários
  1. Cassia Silva Diz

    Só gostaria de saber: Quem recebeu o valor errado nas parcelas e já deu entrada solicitando a revisão dos valores em 06/2020 quando que iremos receber o valor correto? Tive redução de trabalho e o valor que recebi foi inferior ao já esperado. Independente do valor que faltou ele faz falta para quem é trabalhador e precisa acordar cedo todos os dias pq tem família e conta para pagar. As contas não espera e multa e juro vem lá nas alturas.

  2. Sidney Ribeiro Diz

    Tenho empressa e agradeço a Guedes pelo que fez e faz pelo nosso pais……ia ter quer demitir fucionarios e não fiz por que o governo pagou 2 meses de salário e emprestou dinheiro com juros baixíssimo.e carência de um ano…..garantiu milhares de empregos e empresas abertas

  3. AUREO TAVARES Diz

    Há urgência de realizar uma reforma política, acabar com as mordomias e altos salários da classe política, estes são os que realmente quebram o orçamento público.

  4. terezinha socorro morais de oliveira Diz

    e OS aposentados do inss com o decimo quarto salario , como fica Ministro Guedes?

  5. Leandro Diz

    O salário deles que deveriam ser reduzidos não reduzem. Absurdo ganhar tanto pra fazer só merda!

  6. RENI FRANCISCO MARTINS Diz

    Desanima saber que estas pessoas, os liberais das quais Guedes é representante vão quebrar o país, vender nosso patrimônio a preço de banana acabar com os direitos do povo (menos dos ricos) e vão permanecer livres de pagar por seus crimes. Não há justiça nem esperança.

  7. Hilda Diz

    Tiraram o trabalho do povo e agora ficão oferecendo este benefícios eu quero meu trabalho de volta soisso estou acostumada a trabalhar e não viver de benefícios

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.