Especialista explica como investir de forma segura em criptomoedas

Conhecimento do mercado só não basta, é preciso escolher bem em quais criptomoedas investir

Recentemente, as criptomoedas passaram a ser alvo de incertezas devido ao caso que ocorreu com a Terraform Labs e sua criptomoeda, a Luna. Segundo informações da imprensa, o sul-coreano Do Kwon, dono da empresa, é investigado pela Interpol por fraude que levou à Luna a perder valor, um rombo de US$ 40 bilhões. Devido ao caso, a economia de criptomoedas chegou a perder US$ 300 bilhões em valor, com os investidores se perguntando se investir nesse segmento é seguro. Para o contador e advogado Marcos Miranda há formas de evitar cair em golpes como esse e investir em criptomoedas de forma segura.

LEIA MAIS: Google: Pagamentos com criptomoeda serão aceitos em 2023

Ele reforça que o mercado de criptoativos é algo novo ainda para a economia e não conta com regulamentação em muitos países. “É inovador, futurista, descentralizado, volatizado e atrativo devido a elevada rentabilidade que se pode obter com os criptoativos”, diz. Isso faz com que o investimento em criptomoedas pareça um mar de oportunidades, mas é preciso pensar nele como um mercado de alto risco. “É preciso conhecimento e habilidades para transitar nesse mercado.” 

Ele destaca que muitas pessoas conseguiram lucros exorbitantes com criptoativos, algumas por pura sorte, outras por técnica. “Porém, muitos pagaram um preço alto para ver que não é assim que funciona. A Luna e TerraUSD, por exemplo, foram casos que vieram à tona, mas existem inúmeros outros similares a esse”, lembra. 

Como investir de forma segura em criptomoedas

O contador citou algumas posturas e condutas que o investidor pode adotar para evitar perder dinheiro no mercado de criptoativos e assim investir com um pouco mais de segurança: 

1) Adquira o máximo de conhecimento possível sobre o mercado de criptoativos 

Não faça investimentos sem conhecer o mercado, o seu funcionamento, as ameaças e oportunidades, pontos fortes e fracos, as regulamentações e outros. O investidor precisa entender de investimentos e da tecnologia por trás do criptoativo antes de escolher. 

Estudar por conta própria não é simples, pois ele alerta que muitas páginas e cursos oferecem milagres e riquezas do dia para a noite, assim como influencers. Miranda aconselha buscar ajuda de profissionais e cursos que pareçam mais “pé no chão”, que mostrem os contras desse setor. 

2) Estude e acompanhe o projeto do criptoativo 

Normalmente, os criptoativos são criados com um objetivo específico. Para alcançar esse objetivo são elaborados projetos que evidenciam que aquele ativo ou ideia é realmente possível e necessária. 

Antes de escolher um ativo é necessário buscar informações sobre o projeto, ver se ele possui fundamentos fracos ou de baixo potencial para se manter a longo prazo, se a proposta não é algo inexequível, e tentar buscar informações sobre o que já foi feito sobre o projeto. 

Após a escolha, é necessário manter um acompanhamento mensal, onde se verifica se o cronograma de execução do projeto está sendo realizado, se as expectativas financeiras estão acontecendo, se a reputação do projeto continua sendo positiva, se o macro mercado modificou algo que possa prejudicar o projeto, entre outros. 

Qualquer sinal de dificuldade em obter essas informações é um alerta de que a criptomoeda escolhida para investir não é tão segura assim.

3) Invista através de uma Exchange 

Faça seus investimentos utilizando uma Exchange com bons antecedentes, que seja bem estruturada, que lhe dê suporte sempre que necessário, que lhe forneça transparência e confiabilidade quando as suas operações. Pesquise em sites de reclamação sobre a Exchange e verifique se ela respondeu todas as reclamações, veja nos grupos de Telegram, WhatsApp e Instagram o que os usuários falam sobre a Exchange. Consulte o CNPJ da Exchange e veja se ele foi aberto recentemente e se as atividades constantes no mesmo são aderentes ao serviço que ela oferta. 

4) Liquidez do criptoativo 

É importante verificar se o ativo que você está investindo tem liquidez, ou seja, se ele possui volume de pessoas interessadas em comprar e vender. Essas informações podem ser vistas na plataforma de compra e venda da Exchange. 

5) Acompanhe a dinâmica do mercado 

Por fim, Miranda diz que é importante acompanhar não somente a execução do projeto do ativo, mas também a dinâmica do mercado. É recomendável que todos investidores definam um valor máximo para perdas e a meta a ser batida para os ganhos. “Como o mercado de criptoativos é muito volátil, é comum as variações de valores dos ativos serem elevadas. Então se você define um valor máximo de perda ou ganho, você consegue sair do mercado com a segurança que você definiu para o seu investimento”, finaliza. Seguindo essas dicas, ele diz que é possível investir em criptomoedas de forma segura.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.