Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Entenda o funcionamento da ferramenta TRI do ENEM

TRI: um histórico do ENEM

Em 1998, decidiu-se que deveria haver uma maneira de avaliar a educação básica de todos os alunos que terminavam o ensino básico. Assim criou-se o ENEM, o exame nacional do ensino médio.

No ano de 2009, a sua metodologia foi aperfeiçoada e o exame passou também a servir como um instrumento de acesso ao ensino superior.

Ainda, no ano de 2020, os candidatos passam a ter a possibilidade de fazer o exame impresso ou optar por fazer o exame através de computadores em locais previamente determinados.

TRI: a ferramenta do ENEM

O ENEM adota o TRI, sigla para Teoria de Resposta ao Item. Essa ferramenta utilizada pela prova permite que o aluno que acertar questões do exame com base em “chutes”, ou seja, sem saber a resposta, apenas assinalando qualquer alternativa, seja penalizado.

TRI: como funciona?

O ENEM vai submeter suas respostas a um sistema que será capaz de analisar as respostas corretas que você deu e, para cada pergunta, ajustar um determinado peso específico na avaliação. Assim, uma quantidade X acertos na prova de Matemática e suas Tecnologias, por exemplo, não equivale à mesma quantidade de acerto na prova de Linguagens e Códigos, já que elas possuem pesos diferentes. 

Ainda, é muito comum que duas pessoas acertem o mesmo número de questões em uma das provas do exame, mas recebam notas finais completamente diferentes.

E como isso acontece?

As questões de todas as provas do ENEM são previamente analisadas e a cada uma delas é atribuída uma classificação, que pode ser: fácil, médio ou difícil. As categorias são criadas com base em dados estatísticos de cada edição do ENEM e no número de candidatos que acertaram cada questão. Devemos destacar que você nunca saberá qual questão foi classificada com cada categoria durante a execução do exame.

Feito isso, quando a sua quantidade de acertos estiver sendo computada, o TRI vai analisar suas respostas e caso você tenha errado muitas perguntas fáceis mas tenha acertado as difíceis, a ferramenta irá deduzir que você “chutou” as questões difíceis e por isso acertou. Isso fará com que a sua nota caia. 

Assim, podemos perceber que a sua nota final da prova do ENEM não depende somente do número de questões que foram respondidas de maneira correta, mas também do peso que as mesmas possuem no exame como um todo. 

Portanto, tenha em mente que na prova do ENEM é muito importante acertar as questões consideradas fáceis. Mesmo que você não saiba, durante a execução do exame, qual questão recebe qual categoria, uma boa dica é: se você não estiver conseguindo resolver uma questão, pule. Não perca muito tempo tentando resolver uma questão que poderá ser considerada difícil – tente resolver as fáceis primeiro.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.