Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Enem e vestibulares: Conheça a classificação do relevo brasileiro 

Por conta da enorme diversidade de formas e estruturas de relevo, o território brasileiro acabou sendo classificado pelos pesquisadores de várias maneiras. Cada um levou em consideração critérios distintos. 

Conhecer as classificações do relevo brasileiro é importante na preparação para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), vestibulares e concursos públicos. Acompanhe o artigo e saiba mais sobre. 

Classificações do relevo brasileiro

A primeira classificação do relevo brasileiro aconteceu em 1949 e foi desenvolvida pelo geólogo e geomorfólogo, Aroldo de Azevedo. 

O geólogo usou como critério a altitude, ou seja, o nível altimétrico das estruturas. A classificação identificou quatro planaltos, são eles:

  • Planalto das Guianas, 
  • Planalto Central, 
  • Planalto Atlântico,  
  • Planalto Meridional 

Além disso, também identificou três planícies, veja:  

  • Planície Amazônica, 
  • Planície do Pantanal, 
  • Planície Costeira.

A segunda classificação foi criada pelo geólogo Aziz Ab’Saber, proposta em 1962. 

O professor e geólogo, levou em consideração critério baseado em processos geomorfológicos (erosão e intemperismo). 

Desse modo, o relevo seria formado por planícies, por conta da sedimentação e por planaltos formados através da erosão. 

Quando comparada à primeira classificação, Aziz Ab’Saber separou o Planalto Atlântico em Planalto Nordestinos e serras, além dos Planaltos do Leste e Sudeste, assim como acrescentou também o Planalto do Maranhão-Piauí e Uruguaio-Sul-Rio-Grandense. 

A terceira e última classificação do relevo brasileiro foi desenvolvida pelo geógrafo Jurandyr Ross. 

O especialista desenvolveu a proposta em 1990 e usou como critério classificatório a morfologia das estruturas. 

Ademais, essa classificação está ligada a utilização de tecnologia como por exemplo: satélites e fotos de sensoriamento remoto por conta do projeto que vigorou entre os anos de 1970 e 1985, denominado Radam-Brasil. 

Nesse projeto foram identificados 28 unidades de relevo entre: 

  • Planaltos (com mais de 300 metros de altitude, produto de erosão),
  • Depressões (entre 100 e 500 metros de altitude), 
  • Planícies (área composta através do acúmulo de sedimentos). 

E então, gostou de saber um pouco mais sobre o relevo brasileiro? Compartilhe com quem precisa saber disso!

Não deixe de ler também – Geografia: 5 assuntos mais cobrados no Enem

Avalie o Texto.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.