Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Eficiência de vacinas e transmissão: saiba quais as preocupações

A eficiência de vacinas que estão disponíveis vêm sendo questionadas desde a aparição da nova cepa. Afinal, a nova mutação foi diagnosticada no Reino Unido e parece ter uma velocidade de propagação muito maior.

O que se sabe sobre a variação é que ela consegue adaptar-se. Assim, facilita-se sua transmissão e dificulta-se sua neutralização. Dessa forma, podendo ser capaz de superar a vacina em algum aspecto.

Cerca de duas cepas por mês são geradas e a maioria não tem grandes diferenças. Porém, a descoberta no Reino Unido teve 17 mutações de uma só vez. Logo elas alteram as proteínas virais. 

O que sabe-se sobre a nova cepa e a eficiência de vacinas

Embora as mudanças apresentadas sejam preocupantes, o pior é entender como o vírus tem se alterado. Inclusive, outras mutações já demonstraram aumento da força de ligação a um receptor humano. O que pode facilitar a perpetuação da Covid-19 nas pessoas infectadas.

Atualmente a cepa inglesa é responsável por 60% das novas infecções de Londres. Assim, a mudança pode permitir que o vírus se defenda de algumas respostas imunológicas. O que preocupa os cientistas em torno da eficiência de vacinas já usadas.

Outra mutação notada foi que o vírus pode durar vários meses sob uma pressão imunológica. Sendo que ela aparece normalmente em pacientes com tratamentos com o plasma convalescente.

A cepa tem uma velocidade de transmissão bem alta. Mas, não parece ser mais letal. Entretanto, pode ser suficiente para acabar com vários sistemas de saúde pelo mundo.

Resumindo, a nova variação consegue se transmitir mais rápido e defender-se do nosso corpo. Porém, é preciso que mais pesquisas sejam realizadas para entender como afeta a eficiência de vacinas.

O SARS-CoV-2 consegue adaptar-se muito rápido e parecido ao vírus gripal. Por isso é importante se preparar para a possibilidade de ter que conviver mais com o Covid-19.

Como o imunizante contra a gripe, as elaboradas contra o coronavírus pode não ser definitiva. Nos próximos 18 meses o estudo irá questionar se ela irá se manter eficaz no futuro.

Eficiência de vacinas

A ciência descobre cada dia mais novidades sobre o novo vírus. Por isso, os investimentos no estudo da doença devem se manter por bastante tempo. Ainda mais considerando todos os desdobramentos que vem aparecendo.

Ainda testa-se a eficiência de vacinas para comprovar sua qualidade. Assim, haverá certeza de que o imunizante se mantém como uma alternativa válida no combate a Covid-19.

Avalie o Texto.

Veja o que é sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.