Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Volta às aulas: Educação Infantil requer cuidados diferenciados, diz secretário

O Ministério da Educação (MEC) vem demonstrando através de planejamentos ser a favor da retomada das aulas. Contudo, secretário da Educação do município de Salvador, Bruno Barral, defende que a volta às aulas na educação infantil requer cuidados especiais.

Para o secretário, a educação infantil não deve fazer parte da primeira etapa de retorno das aulas nas escolas, por conta da faixa etária dos alunos.

Nesse sentido, o secretário considera que os alunos desse nível não têm maturidade suficiente para cumprir o protocolo de biossegurança estabelecido para a reabertura das instituições de ensino.

Considerando a idade dos alunos, entre 0 e 5 anos, Barral teme que os alunos não tenham disciplina para respeitar as recomendações do MEC e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Nesse sentido, o secretário afirmou em encontro on-line, promovido pela organização Todos Pela Educação, que a educação dos pequenos é perpassada pelo contato, com o compartilhamento de brinquedos e objetos. Logo, a volta às aulas na educação infantil requer maiores cuidados na reabertura das escolas.

Assim, Barral ressaltou a necessidade de criação de estratégias. Uma das estratégias seria a utilização de todos os espaços das escolas, com grupos menores de estudantes.

O rodízio de alunos foi uma das possibilidades mencionadas pelo secretário.

Efeitos da pandemia

Em decorrência da pandemia causada pelo novo coronavírus, as escolas infantis e demais instituições de ensino foram fechadas em março. Com as aulas suspensas há mais de 3 meses, o MEC, os governos estaduais e prefeituras vêm estudando maneiras de retomada das aulas.

Nesse sentido, o ministério criou protocolo de segurança para o retorno das aulas presenciais. O protocolo consiste em diretrizes que devem ser seguidas pelas instituições como forma de evitar o contágio com o vírus.

Além disso, o MEC prevê repasse de verbas para auxiliar as instituições a cumprirem as recomendações do protocolo, como a utilização de máscaras e o uso de álcool em gel para higienização das mãos, por exemplo.

Gostou desta notícia? Deixe seu comentário.

Para mais notícias relacionadas ao Ministério da Educação, clique aqui.
Veja também Projeto de Lei impede demissão de professores da rede pública após pandemia.

Leia Também:

PENSAR CURSOS brasil 123

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Obrigado por se cadastrar nas Push Notifications!

Quais os assuntos do seu interesse?