Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Saiba quantas vezes é permitido contestar auxílio emergencial negado

As contestações são analisadas a partir da atualização das bases analíticas da Dataprev

Aqueles que tiveram o auxílio emergencial negado pelo governo só podem contestar a resposta uma vez. Se o governo mantiver a resposta de auxílio negado após a contestação, essas pessoas ficam impedidas de solicitar novamente.

“Caso a pessoa faça a contestação, ela não poderá fazer nova solicitação posteriormente. Importante informar que a contestação só pode ser feita uma vez”, informou o Ministério da Cidadania.

De acordo com informações obtidas no site do ministério, se o trabalhador precisa corrigir ou alterar dados no cadastro, é necessário fazer uma nova solicitação.

Por outro lado, se o trabalhador discordar da análise e entender que a situação descrita pelo governo está errada ou se alterou, é preciso fazer uma contestação. Porém, se contestar antes de fazer uma nova solicitação, não poderá pedir o benefício depois.

As novas solicitações são analisadas junto a todos os requerimentos, e as contestações são analisadas a partir da atualização das bases analíticas da Dataprev.

Portanto, de acordo com os dados dDataprev, mais de 1,5 milhão de trabalhadores aguardam a validação dos dados pelo Ministério da Cidadania para saber se irão receber o recurso. 

Como contestar o auxílio negado

O trabalhador que teve o pedido negado pode recorrer da decisão e ter sua situação
financeira analisada novamente. Confira  abaixo o passo a passo:

1. Acesse o aplicativo ou acesse auxilio.caixa.gov.br
2. Clique em “Acompanhe sua solicitação”
3. Informe seu CPF
4. Marque a opção “Não sou um robô” e clique em “Continuar”
5. Informe o código enviado por SMS para o celular cadastrado
6. Confira os motivos de o auxílio emergencial ter sido negado. Leia com atenção

Caso o solicitante tenha informado algum dado errado, deve clicar em “Realizar nova solicitação”. Se os dados estiverem corretos e mesmo assim o pedido foi negado, clique em
“Contestar essa informação”.

Quem pode receber o auxílio emergencial?

Será concedido auxílio emergencial de R$ 600 ao trabalhador que cumpra, ao mesmo tempo, os seguintes requisitos:

  • seja maior de 18 anos;
  • não tenha emprego formal;
  • não seja titular de benefício previdenciário ou assistencial, beneficiário do seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal, ressalvado o bolsa-família;
  • a renda mensal per capita seja de até meio salário mínimos ou a renda familiar mensal total seja de até três salários mínimos;
  • que não tenha recebido em 2018 rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70.

O auxílio vai ser cortado caso aconteça o descumprimento dos requisitos acima. O texto também deixa claro que o trabalhador deve exercer atividade na condição de:

  • microempreendedor individual (MEI); ou
  • contribuinte individual do Regime Geral de Previdência Social que trabalhe por conta própria; ou
  • trabalhador informal, seja empregado ou autônomo, inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), até 20 de março de 2020, ou que se encaixe nos critérios de renda familiar mensal mencionados acima.

Leia Também:

PENSAR CURSOS brasil 123

7 Comentários
  1. Amauri Alves De Brito Junior Diz

    Estou na mesma situação, o meu foi negado e eu contestei e foi negado novamente , estão dizendo que eu tenho trabalho formal , eu saí do emprego em maio e não tive direito nem a seguro desemprego pq trabalhei sete meses e eles alegaram que eu tinha que ter trabalho no mínimo 9 meses pra receber o seguro pela segunda vez na vida , como posso ter emprego formal se estou desempregado a 3 meses ??? Caixa nos ajudem por favor…

  2. Noemi Diz

    O meu foi negado por 02 vezes. Eles alegaram que eu estou trabalhando com carteira assinada, pois eu não sei de onde eles tiraram essa ideia, porque eu não estou trabalhando coisa nenhuma, pelo contrário, estou fora do mercado a meses!!!!

  3. Bruna Diz

    A minha mãe tá tentando contesta o dela pelo DPU faz mais de um mês e até agora nada nem uma resposta deles se quer 😞eu acho isso uma humilhação

  4. kleber olimpio Diz

    Motivo:
    Membro familiar pertence à família do Cadastro Único já contemplada com o Auxílio Emergencial o meu esta assim desda primeira analise e nao me da chance nenhuma de contestar oque façoestou desempregado abum e meio e nao tenho direto

  5. Caroline Ferreira Diz

    E os cadastros que receberam a primeira e a segunda parcela mas agora estão “em avaliação” o que pode ser feito pelo cidadão? Quando sai o resultado da avaliação?

  6. Simone Celestino dos santos Diz

    Caixa econômica retirem os nomes dos trabalhadores que recebeu a última parcela do seguro desemprego do sistema, pra podemos ser a provados no auxílio. já fiz o meu auxílio já fiz contestação e nada porquê o meu nome está como no sistema daí da caixa como se eu ainda estou recebendo seguro defesa.

  7. Simone Celestino dos santos Diz

    Dataprev e a caixa econômica federal eu não estou recebendo seguro defesa nem um o meu seguro acabou no dia 8 de junho vocês deviam analisar os dados das pessoas direito e aprova os trabalhadores que estavam recebendo seguro desemprego porquê o seguro acabou mas as nossas contas continua e trabalho que é bom já era,aprovem agente pq agente precisa também do auxílio.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Obrigado por se cadastrar nas Push Notifications!

Quais os assuntos do seu interesse?