Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Pedido de suspensão do pagamento do auxílio de R$600 é rejeitado

No dia 9 de julho, o Tribunal de Contas da União (TCU) rejeitou o pedido.

Na última semana, o Ministério Público solicitou que novos pagamentos do auxílio emergencial de R$ 600 fossem suspendidos. No dia 9 de julho, o Tribunal de Contas da União (TCU) rejeitou o pedido.

O pedido do Ministério Público, junto à corte de contas, foi feito para que a suspensão acontecesse até o governo apresentar estudos falando sobre o impacto do auxílio emergencial no equilíbrio fiscal do Brasil.

O ministro Bruno Dantas rejeitou o pedido e afirmou que a representação do Ministério Público será adicionada a processo que acompanha as medidas do governo durante a pandemia do novo coronavírus. De acordo com o ministro, não há motivo para que o pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 seja paralisado, já que o benefício tem sido fundamental na vida dos brasileiros durante a pandemia.

“Não se pode perder de vista que o auxílio emergencial, como o próprio nome diz, é um gasto eminentemente social implementado em caráter de urgência para garantir a sobrevivência de dezenas de milhões de pessoas que foram abruptamente surpreendidas pelas medidas de isolamento social adotadas na tentativa de conter a propagação do novo coronavírus”, disse o ministro Bruno Dantas.

O ministro explicou também que paralisar o pagamento do benefício emergencial poderia prejudicar a sua efetividade e ainda comprometer a sobrevivência de milhões de famílias.

O pedido de paralisação do pagamento foi feito por Lucas Rocha Furtado, subprocurador-geral. Em seu pedido, solicitou que fossem avaliadas medidas para apurar a legalidade dos critério que “justifiquem” a prorrogação do auxílio emergencial de R$ 600.

Lucas Rocha Furtado também havia solicitado que fosse verificado se a ajuda financeira, que tem sido essencial para milhares de brasileiros, não irá colapsar “desnecessariamente” o equilíbrio fiscal do Brasil. O subprocurador-geral reconheceu que sua posição era “difícil e impopular”.

Quem pode receber o auxílio emergencial?

De acordo com o texto, durante o período de três meses será concedido auxílio emergencial de R$ 600 ao trabalhador que cumpra, ao mesmo tempo, os seguintes requisitos:

  • seja maior de 18 anos;
  • não tenha emprego formal;
  • não seja titular de benefício previdenciário ou assistencial, beneficiário do seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal, ressalvado o bolsa-família;
  • a renda mensal per capita seja de até meio salário mínimos ou a renda familiar mensal total seja de até três salários mínimos;
  • que não tenha recebido em 2018 rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70.

O auxílio vai ser cortado caso aconteça o descumprimento dos requisitos acima. O texto também deixa claro que o trabalhador deve exercer atividade na condição de:

  • microempreendedor individual (MEI); ou
  • contribuinte individual do Regime Geral de Previdência Social que trabalhe por conta própria; ou
  • trabalhador informal, seja empregado ou autônomo, inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), até 20 de março de 2020, ou que se encaixe nos critérios de renda familiar mensal mencionados acima.

Veja também: LIBERADO os saques em dinheiro do auxílio e do FGTS antes da data DESTA forma

Leia Também:

brasil 123  
11 Comentários
  1. Marcelo Juarez fernandes Diz

    Todos que são a favor desse safado super procurador deveriam ir tomar no cú também 👍🤔🖕

  2. Marcelo Juarez Fernandes Diz

    Lucas Rocha Furtado subprocurador-geral você é um grande disgraçado e muito filho da puta vai tomar no seu cú 🖕

  3. Marcelo Juarez fernandes Diz

    Este tal subprocurador é um indiota e um filho da puta disgraçado 🤑

  4. Jair Leme da Silva Diz

    Verdade, como se manter, trabalhando fasendo bicos se tudo tá fechado, tem que manter o auxílio enquanto existir esolamento

  5. Nivea Diz

    Fiscalizar. Melhor isso tem muitas gente recebendo não. Precisa e tem muitas passando nesecidades. Ta tenso.

  6. Je Diz

    É só diminui o pagamento do pessoal trabalha no governo e repassar esse dinheiro para as pessoas claro não vai dá muito mais já ajuda, daí da equilíbrio ne

    1. Dídimo Marcon Diz

      Num momento desse, se realmente a classe política estivesse preocupada coma população, deveriam abrir mão de seus salários e benesses, assim como também o judiciário abdicar de suas vantagens. O MP também deveria investigar onde foram gastos os bilhões enviados aos estados para aquisição de equipamentos no combate ao covid 19.

  7. Carlos Diz

    Sou a favor de cortar o auxílio,mas também sou a favor de cortar o salário de todos esses marajás que ganham acima de $ 5.000,00,isso aí dá muito pra eles viverem!!

    1. HELLEN Di Paula DOS SANTOS Diz

      Concordo eu também dou favor de corda salários tem que liberar moro sem ajuda de ninguém sustento meus 2 filhos sozinha sem ajuda de ninguém tenho problemas de saúde com esse dinheiro do auxílio emergência mim salvar porque compro remédios e comida pros meus filhos espero que liberam mas rápido possível a 3 parcela que caixa tem não mostra valor só apareceu no dia do depósito 1.200 depois não apareceu mas espero que tudo isso se resolva logo tenho é preciso comprar meus remédios e colocar na mesa pão e comida pro meus 2 filhos e espero também que não velha logo esse dinheiro tem gente pegando dinheiro do bolsa família e vai pra passeio e beber e nos aqui que mas precisamos estamos nessa situação deus tenha misericórdia .

    2. HELLEN Di Paula DOS SANTOS Diz

      Concordo eu também dou favor de corda salários tem que liberar moro sem ajuda de ninguém sustento meus 2 filhos sozinha sem ajuda de ninguém tenho problemas de saúde com esse dinheiro do auxílio emergência mim salvar porque compro remédios e comida pros meus filhos espero que liberam mas rápido possível a 3 parcela que caixa tem não mostra valor só apareceu no dia do depósito 1.200 depois não apareceu mas espero que tudo isso se resolva logo tenho é preciso comprar meus remédios e colocar na mesa pão e comida pro meus 2 filhos e espero também que velha logo esse dinheiro tem gente pegando dinheiro do bolsa família e vai pra passeio e beber e nos aqui que mas precisamos estamos nessa situação deus tenha misericórdia .

  8. Rosa maria Carvalho valente Diz

    Eu 62 anos moro se ajuda de ninguém. E tenho problemas de saúde
    Se cortar eu irei passar fome quero continua o auxílio emergencial. Quem para idosos mais passelas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Obrigado por se cadastrar nas Push Notifications!

Quais os assuntos do seu interesse?