Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Concurso Caixa: com novo PDV para demissão de 7 mil, aprovados cobram convocações

Na última segunda-feira, 09 de novembro, a Caixa Econômica Federal (CEF) iniciou o seu Programa de Desligamento Voluntário (PDV) da estatal para nada menos que 7,2 mil empregados. A confirmação veio por meio do próprio banco, logo após anúncio pela Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae).

A meta do banco, ao todo, é desligar um total de 7.294 funcionários do seu quadro de servidores. A Caixa confirmou que vai seguir com o programa até 20 de novembro. O funcionário que aceitar será desligado ainda em 2020 e terá direito ao equivalente a 9,5 salários, no limite de R$ 470 mil, tendo como base a remuneração de setembro.

Os desligamentos acontecerão entre 23 de novembro e 31 de dezembro. O PDV visa:

  • trabalhadores com 15 anos ou mais de serviço no banco;
  • funcionários aposentados pelo INSS, com data anterior a  13 de novembro de 2019; ou
  • que venham a adquirir as condições para aposentadoria até 31 de dezembro, desde que não tenha requerido o benefício ao INSS.

Os funcionários que recebem adicional de incorporação de função de confiança, cargo em comissão e função gratificada também podem aderir ao PDV. Neste caso, não há exigência de tempo mínimo de serviço.

Em 2014, a Caixa chegou a ter 101 mil empregados. Porém, o banco conta atualmente somente com cerca de 84 mil funcionários. Porém, milhares de candidatos aprovados no último concurso ainda aguardam por suas convocações.

Segundo informações do presidente da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), Sergio Takemoto, a Caixa segue desligando funcionários do banco sem repor, chegando, segundo ele, a um déficit de 17 mil funcionários.

“Nessa pandemia vimos a importância da Caixa. Os empregados fizeram um grande trabalho e mostraram que a Caixa é imprescindível. Mas os trabalhadores estão cansados, a jornada está exaustiva e a falta de trabalhadores também agrava a situação”, afirmou Takemoto.

Aprovados no último concurso cobram convocações

O novo programa de demissão de voluntária (PDV) acontece em um momento delicado, conforme informado por sindicalistas. Acontece que o auxílio emergencial, pago pela Caixa, gerou uma grande necessidade da instituição por novos funcionários.

Desde abril, quando teve início o pagamento do benefício, milhares de pessoas fizeram filas nas unidades da Caixa em todo o Brasil. Além disso, o banco vem abrindo as agências aos finais de semana e ampliando o seu horário de funcionamento. O que, segundo os aprovados, não é suficiente.

Em maio, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, falou sobre o atendimento e disse ter contratado vigilantes e recepcionistas, preterindo, segundo os aprovados, a convocação dos concursados.

Segundo o presidente, o banco realizou a contratação de 3.991 novos vigilantes e 389 recepcionistas, estando outras centenas em vias de contratação. No primeiro semestre, pelo menos 35 mil funcionários estavam trabalhando.

“Estamos envergonhados com o que vem ocorrendo na Caixa. O banco lucra bilhões, mas está sucateado. A população e os funcionários estão sendo humilhados! Nós, aprovados do concurso podemos ajudar nesse momento de pandemia. Não é a contratação de seguranças e recepcionistas terceirizados que irá solucionar a situação atual. A Caixa precisa de convocações urgente!”, disse Natalia Dias de Oliveira, integrante da comissão de aprovados.

Convocações Caixa: 296 aprovados foram contratados em maio

Caixa Econômica Federal (CEF) iniciou, em maio, o chamamento de 296 empregados aprovados no último concurso, realizado em 2014.. A informação foi confirmada pelo banco por meio de seu portal oficial.

Os aprovados foram contratados para reforçar o atendimento nas agências, prioritariamente nas regiões Norte e Nordeste.

“Essa medida visa reforçar o time de atendimento nas agências. Além disso, o banco fomenta a economia, gerando emprego e renda a centenas de famílias”, disse na época Girlana Granja Peixoto, vice-presidente de Pessoas.

De acordo com informações da CAIXA, em 2019 o banco deu início a um ciclo de contrações. Desde então, foram 1.871 Pessoas com Deficiência (PcD), esgotando o cadastro de reserva desse público. Contratou ainda 633 da ampla concorrência. E agora, com essa nova convocação, chegou a um total de total de 2,8 mil novos empregados.

“Atuando na linha de frente para possibilitar o pagamento do auxílio emergencial para milhares de brasileiros, a CAIXA mantém o compromisso de oferecer o melhor serviço sem abrir mão dos cuidados com as pessoas que prestam o atendimento à sociedade”, informou banco.

Último concurso da CAIXA

O último concurso público realizado pela Caixa Econômica Federal (CEF) foi realizado em 2014. Na ocasião, o edital trouxe vagas para os cargos de Técnico Bancário (nível médio), Médico do Trabalho e Engenheiro (nível superior). Todas as oportunidades são em formação de cadastro reserva.

O concurso contou, ao todo, com mais de 30 mil aprovados no cadastro reserva. O Cebraspe organizou o certame, que contou com mais de 1 milhão de inscritos.

Inicialmente, a validade do concurso foi de um ano, com possibilidade de prorrogação por igual período. A validade do certame terminaria no dia 16 de junho de 2016 para os cargos de técnico e no dia 26 de junho de 2016 para médicos e engenheiros.

O conteúdo cobrado é considerado pelos candidatos um pouco extenso. Com isso, é imprescindível iniciar a preparação o quanto antes. Acredita-se que o concurso de Técnico Bancário da Caixa mantenha o conteúdo de seleções anteriores. O cargo de Técnico Bancário tem requisito de certificado, devidamente registrado, de conclusão de curso de ensino médio (antigo segundo grau), expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação.

Cargo de Técnico Bancário – Missão: atividade administrativa destinada a prestar atendimento aos clientes e ao público em geral, efetuando operações diversas, executando atividades bancárias e administrativas, incluindo a comercialização de produtos e serviços, efetivação de cálculos e controles numéricos, inserção 2 e consulta de dados em sistemas operacionais informatizados e auxílio em sua manutenção e em seu aperfeiçoamento, bem como realização de operações de caixa, quando habilitado, de forma a contribuir para a realização de negócios, possibilitando o alcance das metas, o bom desempenho da Unidade e a satisfação dos clientes internos e externos.

Atribuições: prestar atendimento e fornecer as informações solicitadas pelos clientes e público; efetuar todas as atividades administrativas necessárias ao bom andamento do trabalho na Unidade; operar microcomputador, terminais e outros equipamentos existentes na Unidade; instruir, relatar e acompanhar processos administrativos e operacionais de sua Unidade; efetuar cálculos diversos referentes às operações, programas e serviços da CAIXA; elaborar e redigir correspondências internas e(ou) destinadas aos clientes e ao público; preparar o movimento diário; manter atualizadas operações, programas e serviços implantados eletronicamente; dar andamento em processos e documentos tramitados na Unidade; realizar trabalho relativo à edição de textos e planilhas eletrônicas, arquivo, pesquisa cadastral, controle de protocolo e demais atividades operacionais; elaborar e preparar mapas, gráficos, relatórios e outros documentos, quando solicitado; realizar outras atribuições correlatas; divulgar e promover a venda dos produtos da CAIXA.

Quais são os benefícios?

Os aprovados no concurso da Caixa fazem jus a possibilidade de ascensão e desenvolvimento profissional; participação nos lucros e nos resultados, nos termos da legislação pertinente e do acordo coletivo vigente; possibilidade de participação em plano de saúde e em plano de previdência complementar; auxílio refeição/alimentação; auxílio cesta/alimentação; possibilidade de participação em programa de elevação da escolaridade e desenvolvimento; programas de preservação da saúde, qualidade de vida e prevenção de acidentes; e contrato de trabalho regido pela CLT e, portanto, com direito a FGTS, dentre outras vantagens. A jornada de trabalho será de 6 horas diárias, totalizando 30 horas por semana.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.