Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

5/5 - (1 vote)

Combustíveis: a estrutura de custos dos preços repassados ao consumidor

A estrutura de custos dos preços dos combústiveis repassados ao consumidor é multifatorial. Confira apontamentos do Banco Central!

O Banco Central do Brasil (BCB) apresenta estimativas simples do grau de repasse, considerando apenas variações que foram observadas em 2021. 

Estimativas do preço da gasolina na refinaria

São apresentadas estimativas não só como preço do petróleo em reais como divisor, mas também com preço da gasolina na refinaria (que varia de forma semelhante ao preço internacional) e com o preço da mistura entre gasolina pura e etanol. 

Tendo em vista as defasagens de repasse e o fato de que o preço do petróleo recuou de forma importante no final do ano, também são apresentadas contas em que a variação da gasolina no ano é dividida pela variação interanual dos condicionantes em novembro. O exercício sugere que o grau de repasse pode ser superior a 50%, destaca o Banco Central do Brasil (BCB).

A estrutura de custos do preço ao consumidor

O grau de repasse obtido nesse exercício simplificado é corroborado por análise mais detalhada, que utiliza a estrutura de custos do preço ao consumidor para calibrar um coeficiente teórico de repasse. 

As contas que fundamentam a calibração

No apêndice são apresentadas as contas que fundamentam a calibração. Os resultados são apresentados na parte superior da tabela são apresentadas as participações de cada componente no preço da gasolina e na parte inferior é exibida a estimativa do grau de repasse considerando diferentes hipóteses para a reação do preço do etanol.

Observação: o documento oficial disponível no site do Banco Central do Brasil (BCB) permite visualizar gráficos e dados de forma integral.

O valor do etanol é considerado exógeno

Usando pesos de dezembro de 2020, que são a base adequada para o cômputo do repasse do ano seguinte, o grau de repasse é calculado em 39,8% quando o preço do etanol é considerado exógeno e em 54,4% quando se considera uma resposta endógena do preço do etanol de modo a manter constante a razão de preços entre etanol e gasolina na bomba. É possível que o verdadeiro grau de repasse seja um valor intermediário entre os obtidos sob essas duas hipóteses, explica o Banco Central do Brasil (BCB).

A partir dos pesos de dezembro de 2021, o grau de repasse para 2022 é calculado em 47,2% quando o preço do etanol é considerado exógeno e 66,1% quando é considerado endógeno – altas de 7,4 p.p. e 11,7 p.p., respectivamente, em comparação com as respectivas calibrações do grau de repasse para o ano anterior. Acesse o site oficial da instituição para que obtenha essas análises de forma integral, dentre outras informações importantes sobre a economia atual.

5/5 - (1 vote)
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.