Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

A chamada “lojinha” do Banco Inter já ultrapassa casa dos bilhões em vendas

A “lojinha” do Banco Inter fez um volume de 2 bilhões de reais em vendas nos primeiros oito meses do ano. A loja digital do banco vende produtos e serviços como recarga de celular, telefones, televisores, games, eletrodomésticos e computadores. Em vista disso, a “lojinha” já projeta fechar o ano em algo em torno de 3 a 4 bilhões de reais.

A “lojinha” faz parte de um ambicioso objetivo da fintech que é atender diferentes áreas de interesse dos clientes. Dessa maneira, a cada segundo e meio a “lojinha” registra alguma venda e, com dois anos de vida, o marketplace Inter Shop já vendeu produtos a mais de 2 milhões de clientes do Banco Inter, atraídos pelas propostas de cashback.

Em dois anos, o cashback já devolveu mais de 200 milhões de reais aos clientes que fizeram compras no Inter Shop. Assim, o banco fatura bastante com as compras dos clientes. Se antes o banco ganhava de 1% a 1,5% caso um cliente comprasse de uma loja qualquer usando um cartão do Banco Inter, agora o grupo ganha de 4% a 18% do valor dos produtos vendidos.

Ambição da “lojinha” do Banco Inter

Segundo o próprio CEO do Banco Inter, Rodrigo Gouveia, a “lojinha” do Inter possui uma ambição ainda maior. A loja, carinhosamente apelidada de shopping, tem que atingir o potencial de um público de 13 milhões de clientes do banco, crescendo a cada hora. Todos os dias, 30 mil novos clientes chegam ao aplicativo.

Nesse sentido, o Inter Shop precisa provar aos investidores que pode crescer e quem sabe virar uma hiperloja como o Mercado Livre. Portanto, essa é a ambição do Inter Shop, que segue o objetivo do banco digital como um todo que é sempre expandir mais e atingir ao máximo as áreas de interesse e proporcionar a melhor experiência aos clientes.

Atualmente, o banco possui no marketplace vendedores do tamanho de empresas como a Casas Bahia, por exemplo. Rodrigo Gouveia diz que o próximo passo é levar as pequenas lojas para o shopping do Inter e entrar na cauda longa, ou seja, oferecer na loja tudo que uma pessoa quiser comprar.

Para isso, o Inter Shop vai se unir ao Banco Inter para se aproveitar de clientes pessoas jurídicas e MEI, que são clientes do banco. Ou seja, o plano da “lojinha” é vender os produtos dos seus próprios clientes.

Cashback já é um sucesso

O Banco Inter, atualmente, é uma das principais plataformas que oferecem cashback para seus clientes no Brasil. Como já foi citado, já são mais de R$ 200 milhões de cashback distribuídos aos seus clientes, a partir das compras no Inter Shop. Além disso, o pagamento em dia das faturas de cartão de crédito, e as aplicações em fundos de investimento, também retornam dinheiro aos clientes.

Portanto, é dessa maneira que o banco digital conquista cada vez mais clientes, oferecendo vantagens que se alinham aos interesses dos mesmos. Dessa maneira, não é atoa que o Banco Inter cresce mais sua popularidade a cada dia.

Avalie o Texto.
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.