Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Cai a fila de espera para realização da perícia do Auxílio Doença no Brasil

De acordo com dados do INSS, número de pessoas que esperam pela perícia caiu entre os meses de março e junho

O número de pessoas que esperam na fila para realizar uma perícia médica no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) caiu no Brasil. Quem está dizendo isso é o próprio Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP). De acordo com eles, a queda foi de um patamar de 26% neste intervalo.

Segundo os dados do Instituto, em março cerca de 635.780 pessoas estavam aguardando pela realização da perícia no INSS. Agora no último mês de junho, esse número caiu para a casa dos 470.140. De acordo com especialistas essa queda aconteceu por uma série de motivos concretos.

Segundo essas pessoas, o próprio INSS passou a mudar alguns pontos nas regras dos atendimentos e das análises dos cidadãos. No entanto, este não foi o único motivo. Ainda de acordo com esses especialistas, o número atual não é baixo, ele apenas não é tão alto como no tempo dos meses finais do ano passado.

Vale lembrar que o INSS passou vários meses de 2020 sem realizar perícias médicas para concessão do Auxílio doença. Tudo isso aconteceu justamente por causa da pandemia do novo coronavírus. Esse serviço voltou na sua forma presencial ainda no final do ano passado. No entanto, os usuários registravam ainda muita dificuldade.

Das pessoas que estão na fila de espera para perícia médica do INSS, cerca de 76% estão esperando pela possibilidade de receber o Auxílio doença. Ainda de acordo com a IBDP, outros 26% são brasileiros que estão esperando pela concessão do Benefício de Prestação Continuada (BPC). Nos dois casos, é preciso fazer o procedimento.

Perícia do INSS

Vale lembrar que essa história das perícias do INSS deu muito o que falar ainda no final do ano passado. É que logo depois de um longo período sem oferecer esse procedimento, o Instituto decidiu retomar o atendimento mesmo antes do fim da pandemia.

Essa decisão deixou boa parte dos peritos do próprio INSS insatisfeitos. Por isso, a maioria desses trabalhadores decidiu realizar uma espécie de greve. A Agência Nacional de Peritos (ANP) disse que eles só voltariam depois que as agências atendessem a todos os protocolos de segurança.

Depois de algumas semanas do início desta confusão, os peritos começaram a retornar ao trabalho. E foi justamente a partir daí que a fila de espera de milhões de trabalhadores começou a andar, ainda que de forma muito lenta.

Soluções

De acordo com especialistas, a fila atual de espera para o recebimento do auxílio doença pode até representar uma queda, no entanto, ela ainda é alta. E eles dizem que isso acontece por uma série de motivos que precisariam passar por uma solução urgente.

Um desses motivos é a falta de funcionários do próprio INSS. De acordo com o Instituto, o número de trabalhadores do local está caindo ano após ano em uma velocidade considerável. E com menos gente para trabalhar, mais devagar a fila anda.

Recentemente o próprio INSS disse que está pedindo ajuda para outros órgãos do Governo Federal para tentar mudar essa situação. De acordo com os diretores atuais do Instituto, há ainda o plano de convocar novos concursos públicos.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.