Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Brasileiros alteram cardápio por causa da alta no preço dos alimentos

A alta do arroz foi amplamente noticiada na última semana, embora mais alimentos tenham apresentado alta

Recentemente, o preço dos alimentos nos supermercados brasileiros disparou. Por causa disso, muitos brasileiros têm alterado seus cardápios para se adaptar ao novo cenário. A saída tem sido optar por alimentos mais barato e substituição de produtos.

De acordo com especialistas, a diminuição do pagamento do auxílio emergencial, que vai de R$ 600 para R$ 300, não irá afetar a demanda por alimentos. Essa demanda deve continuar alta, maior do que o nível anterior ao da quarentena provocada pela pandemia do novo coronavírus. Já outros setores, como o de móveis, eletrodomésticos e materiais de construção, podem ter queda ocasionada pela diminuição do auxílio.

De acordo com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o auxílio emergencial é culpado pela alta do preço do arroz e de outros itens da cesta básica. Durante live feita semana passada, Bolsonaro afirmou que a alta do dólar incentivou a exportação do arroz e aumentou o valor no Brasil. Novamente, o presidente criticou o isolamento social. “Sempre falamos que isso ia acontecer. Imagina se os produtores de arroz tivessem ficado em casa? A OMS está falando o que eu falei lá atrás e apanhei igual cão sarnento”, disse ele.

“Por que o arroz subiu de preço? Com o auxílio emergencial, o pessoal começou a consumir um pouco mais. Realmente ajudou a desaparecer um pouco essa mercadoria das prateleiras”, opinou o presidente. Bolsonaro já afirmou que não irá prorrogar o auxílio novamente.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.