Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Bomba! Lira volta atrás sobre racionamento de energia

Com o menor volume de chuvas em 90 anos, a crise hídrica entrou para agenda do governo e preocupação das autoridades, o risco seria o reservatório das hidrelétricas esvaziarem por completo. O presidente da Câmara dos Deputados, Arhur Lira (PP-AL), chegou a levantar a necessidade de um racionamento de energia para evitar um apagão, mas voltou atrás e declarou que seria necessário apenas o “uso eficiente”.

“Falei há pouco com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, que esclareceu que a medida provisória não irá trazer qualquer comando relativo ao racionamento de energia. Será feito o incentivo ao uso eficiente da energia pelos consumidores de maneira voluntária”, escreveu em suas redes sociais.

A Medida Provisória (MP) que Lira se refere deve aumentar o controle dos recursos hídricos pelo Ministério de Minas e Energia.

Lira disse anteriormente que um apagão teria que ser evitado com “um período educativo, de algum racionamento, para não ter nenhum tipo de crise maior”. No mesmo dia voltou atrás e descartou a ideia de racionamento.

Neste cenário o governo deve intensificar as campanhas para incentivar o consumo consciente tanto de energia elétrica quanto de água. Ao todo deve ser investidos R$ 20 milhões.

A conta de luz também deve aumentar devido o acionamento das usinas termelétricas, que usam combustíveis para produção de energia, o que encarece o processo.

A energia produzida pelas usinas hidrelétricas é mais barata, mas a crise hídrica tem limitado a produção devido ao nível dos reservatórios. Por isso, o racionamento de energia foi levantado como hipótese.

A situação é tão crítica que o Sistema Nacional de Meteorologia (SNM) chegou até produzir um alerta de emergência hídrica para os órgãos de meteorologia federais e ao Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden). Em pelo menos cinco estados a situação é crítica:

  • Minas Gerais;
  • Goiás;
  • Mato Grosso do Sul;
  • São Paulo;
  • Paraná.

Diferença em racionamento de energia e apagão 

Há diferença entre os termos de racionamento e apagão. O primeiro termo se refere uma produção menor de energia em relação ao consumo, já o segundo é um processo inverso, ou seja, um pico de energia, maior do que a quantidade disponível pelas indústrias.

Nível mais baixo desde 2001

O consumo consciente tem se mostrado uma alternativa diante das usinas hidrelétricas da região Sudeste/Centro-Oeste fecharam o mês de maio com o nível mais baixo desde 2001, apenas 32,11% da capacidade.  Em 2001 o país chegou a passar por um racionamento. Os dados são do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

Em maio de 2001, os mesmos reservatórios ficaram em 29,88%. Os reservatórios até apresentaram melhora, mas nos últimos sete anos o mês de maio não ultrapassou 60% da capacidade.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.