Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Bolsonaro sanciona lei que facilita compra de vacinas contra Covid-19

O presidente Jair Bolsonaro sancionou na tarde desta quarta-feira uma lei que pretende facilitar a contra de vacinadas contra a Covid-19. Neste evento, Bolsonaro e todo sua equipe usaram máscara – o que é bem incomum em eventos oficiais

Um levantamento do G1, indica que a última vez que Bolsonaro foi visto usando máscara em eventos oficiais foi ainda no dia 3 de fevereiro. A foto que consta no site de fotos da Presidência, foi tirada sessão de abertura do ano do legislativo no Congresso.

De lá para cá, teriam acontecido 34 eventos oficiais, não só em Brasília como em outras cidades, com a participação do presidente. Em todos eles Bolsonaro não utilizou máscara, de acordo com os site de fotos da Presidência, na qual o G1 observou.

Contrariando a indicação de médicos, estudiosos e cientistas, Bolsonaro vem criticando o uso de máscara contra a pandemia da Covid-19.  “Eficácia dessa máscara é quase nenhuma“, disse em agosto.

Bolsonaro também já usou uma enquete online distorcida para defender que máscaras seriam prejudiciais a criança, o que não é verdade.

“[As máscaras] são prejudiciais a crianças. Leva em conta diversos itens: irritabilidade, dores de cabeça, dificuldade de concentração, diminuição da percepção de felicidade, recusa em ir para a escola ou creche, desânimo, comprometimento da capacidade de aprendizado, vertigem e fadiga”, declarou o presidente.

Saiba mais clicando aqui.

Ele também chegou a vetar parte de uma lei que obrigava o uso da máscara em locais públicos.

Leis sancionadas

Confira as leis sancionadas pelo presidente abaixo:

  • PL 534/2021: pretender desburocratizar a compra de vacinas pela União, pelos governos estaduais e municipais e pela iniciativa privada. As vacinas devem, porém, ser todas de responsabilidade do SUS.
  • MP 1.026/2021: Libera a compra de vacinas mesmo sem o aval da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa). Após a compra, a agência será obrigada a definir em até 7 dias a aprovação temporária da vacina ou não.
  • PL 2.809/2020:  até 31 de dezembro de 2020 os prestadores de serviço do SUS, não serão obrigados a apresentar a manutenção de metas.

Bolsonaro volta a criticar medidas de isolamento

Para discursar na cerimônia Bolsonaro tirou a máscara e voltou a criticar medidas de isolamento. “A política do lockdown adotada no passado, o isolamento ou confinamento, visava tão somente dar tempo para que hospitais fossem aparelhados com leitos de UTI [unidades de terapia intensiva] e respiradores. O governo federal não poupou esforços, não economizou recursos para atender todos estados e municípios”, se defendeu o parlamentar.

Na mesma ocasião o presidente também defendeu que as procurem um médico assim que sentirem os primeiros sintomas e voltou a recomendar o uso de remédios sem a comprovação cientifica.

Nesta semana Bolsonaro também declarou que o Brasil está começando a ter um calendário de vacinação. Entenda mais clicando aqui. 

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.