Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Benefício por incapacidade temporária do INSS paga 13º salário? VEJA!

O auxílio-doença, benefício por incapacidade temporária do INSS, concede ajuda financeira aos contribuintes impossibilitados de trabalhar em razão de doença ou outra condição de saúde.

Para que o benefício seja concedido, o trabalhador deve apresentar um atestado que justifique seu afastamento por no mínimo 15 dias. Durante esse período, a empresa será responsável pelo pagamento salarial do trabalhador. Apenas depois deste prazo o trabalhador pode solicitar o benefício do INSS.

Para a concessão do auxílio, é exigida a realização de perícia médica que comprove a incapacidade do trabalhador. O agendamento da perícia é feito pelo número 135 ou através do portal ou aplicativo Meu INSS.

Auxílio-doença garante 13º salário?

O auxílio-doença  garante o pagamento do 13º salário. O pagamento é devido integralmente ao trabalhador incapacitado se as condições forem consideradas para o afastamento. No entanto, o benefício deixa de ser pago nos casos em que:

  • o benefício se transforma em aposentadoria por invalidez;
  • o segurado solicita e tem a concordância da perícia médica do INSS;
  • o segurado recupera a capacidade para o trabalho;
  • o segurado volta voluntariamente ao trabalho.

INSS termina antecipação do auxílio-doença sem perícia; como receber benefício?

Durante o período de isolamento social, o INSS começou a receber atestados médicos dos segurados em formato digital por meio do portal Meu INSS pelo site ou aplicativo para celular. A pessoa que usou a plataforma para encaminhar o documento e solicitar o auxílio-doença recebeu uma antecipação de R$ 1.045, após o atestado ser validado pela perícia médica do órgão.

Os segurados tiveram até 30 de novembro para fazer o requerimento de antecipação do benefício. Dessa forma, o pagamento antecipado do auxílio sem perícia não pode mais ser feito.

A medida foi tomada visando acelerar a concessão do benefício dos segurados, agilizando assim o processo durante a pandemia do novo coronavírus. A antecipação não exigiu perícia médica, ou seja, bastava o segurado anexar o atestado que comprove a incapacidade temporária por motivos de doença ou até mesmo um acidente.

Saiba o que fazer com o fim da antecipação

Agora, o beneficiário que fica doente ou sofre algum acidente, por exemplo, e necessite receber o auxílio doença, será necessário passar por uma perícia médica nas agências da Previdência para receber o benefício.

Os pedidos deverão seguir a regra de antes da pandemia de coronavírus. Ou seja, os segurados deverão agendar a sua perícia por meio do portal Meu INSS ou por meio da central 135 e depois se dirigir a uma agência do INSS.

Canais de agendamento da perícia médica

  • Portal Meu INSS;
  • Ligar no 135.

O beneficiário deverá acessar o site ou o aplicativo Meu INSS. Após isso, é necessário que o segurado faça o cadastro ou informe sua senha. Após isso, basta agendar uma perícia médica. O agendamento também pode ser feito pelo telefone 135.

Adiantamento do BPC

O Benefício de Prestação Continuada (BPC) da Lei Orgânica da Assistência Social (Loas), que estava realizando a antecipação de até R$1.045, também voltará a exigir perícia médica. No BPC, o beneficiário que solicitava o benefício e comprovava a renda necessária, recebia R$ 600 de adiantamento.

No entanto, para receber o BPC integral, que paga um salário mínimo a idosos carentes e família com deficientes físicos, era necessário passar pela perícia presencial da mesma forma que no auxílio-doença. Para ter direito ao BPC, o cidadão deverá comprovar vulnerabilidade social assim como a pessoa com deficiência.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
1 comentário
  1. Janete Nascimento Muller Diz

    Tenho incapacidade de trabalho tenho 5 atestado mais não estou pagando o INSS como procedo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.