Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Auxílio emergencial: Redução de beneficiários na prorrogação. Entenda

O Governo Federal ainda não confirma essa informação oficialmente, mas Auxílio tende a ter menos público na prorrogação

Cerca de 39,1 milhões de pessoas estão recebendo o Auxílio Emergencial neste momento no Brasil. Pelo menos é o que dizem os dados oficiais do Ministério da Cidadania. Há, no entanto, uma dúvida sobre a possibilidade de crescimento no patamar de usuários do projeto em uma possível prorrogação.

No entanto, o mais provável mesmo é que aconteça o contrário. O Governo Federal ainda não fala sobre esse assunto de maneira oficial, mas a tendência mesmo é que esse número vá cair durante os meses adicionais de pagamento. E isso aconteceria justamente por causa do pente fino do Dataprev.

Como se sabe, esse órgão faz uma reanálise de cada uma das contas das pessoas que estão no Auxílio ao final de cada pagamento. Então é natural que eles acabem descobrindo algumas irregularidades. Esses cidadãos deverão passar portanto por um cancelamento do benefício. Boa parte delas terão direito a pedir uma contestação.

No entanto, é fato que a maioria desses cidadãos não consegue voltar ao programa. O que significa dizer que o mais provável mesmo é que o projeto acabe atendendo menos gente com o passar dos pagamentos das parcelas. É portanto o contrário daquilo que muita gente estava querendo que acontecesse.

As pessoas que não estão recebendo o dinheiro nem do Auxílio Emergencial nem do Bolsa Família estavam mantendo uma certa esperança de entrar no projeto atual nesses meses adicionais. No entanto, isso não é provável que aconteça. De qualquer forma, neste momento talvez seja importante esperar por mais declarações oficiais do Governo.

Declaração de Bolsonaro

De acordo com o Ministro da Economia, Paulo Guedes, o Presidente Jair Bolsonaro deve dar uma declaração sobre esse assunto a qualquer momento. O chefe do executivo deverá explicar mais detalhes dessa prorrogação do Auxílio.

Alguns pontos aparentemente estão claros para todos. O programa deverá ganhar mais dois ou três meses de duração. Além disso, os valores não devem mudar. Seguirão portanto os pagamentos que variam entre R$ 150 e R$ 375.

No entanto, outras questões ainda precisam de uma definição do Governo. Falta saber, por exemplo, se eles querem mesmo seguir apenas com esses 39,1 milhões de brasileiros recebendo o benefício ou se irão colocar mais pessoas.

Além do Auxílio

Essa declaração de Bolsonaro também deverá fornecer mais detalhes sobre os pagamentos do novo Bolsa Família. De acordo com as informações oficiais, o novo programa deve começar depois do fim do Auxílio.

Então se o projeto emergencial tiver mais três meses de duração, isso significaria dizer que ele teria pagamentos até o próximo mês de outubro. Dessa forma, o novo Bolsa Família só poderia entrar em cena a partir do mês de novembro.

Acontece que o Ministro Paulo Guedes também disse em entrevista que o Auxílio pode acabar tendo uma nova prorrogação para além de outubro a depender da situação da pandemia nos próximos meses. Se isso acontecer, não se sabe o que poderia ser feito com o novo Bolsa Família. Essa é portanto mais uma grande dúvida neste momento de incertezas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.