Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Auxílio emergencial: Governo cortou quase 500 mil após revisões

De acordo com os dados do próprio Governo Federal, quase meio milhão de pessoas perderam o Auxílio após revisões nas contas

O Dataprev trabalhou muito no Auxílio Emergencial neste último mês de junho. É que de acordo com os dados do próprio Governo Federal, o órgão realizou cortes de cerca de 497 mil contas do programa. Todos eles aconteceram depois das revisões que eles estão fazendo de maneira mensal.

De acordo com o Governo Federal, o Dataprev é o órgão responsável por decidir quem recebe e quem não recebe o Auxílio Emergencial. A ideia, ainda de acordo com o Planalto, é identificar se alguma pessoa deixou de cumprir toda as regras do programa para realizar o bloqueio nas contas do benefício.

Imagine, por exemplo, que um cidadão desempregado começa a ganhar o Auxílio Emergencial em abril. Logo depois, em maio, ele consegue um emprego formal em uma grande empresa. Nesse caso, quando o Dataprev revisar esses dados e descobrir que ele não encaixa mais nas regras do benefício, ele vai ter um corte.

O mesmo vale para uma série de outras situações. Quem foi preso em regime fechado ou foi morar no exterior, por exemplo, não pode mais receber o dinheiro do programa. Quem está em uma família com uma renda per capita acima do limite máximo permitido também vai perder o direito de receber o benefício.

Esses cortes acontecem não exatamente por serem fraudes. Foi apenas uma atualização cadastral. Até por isso, o Dataprev não exige que esses cidadãos devolvam o direito. Afinal, se entende que quando eles receberam o programa, se encaixavam em todas as regras do benefício do Governo Federal.

Números

De acordo com os dados oficiais, 1.157.838 beneficiários do Auxílio Emergencial perderam o direito de seguir recebendo o programa. Isso considerando apenas os números do último mês de junho. De abril para cá, são mais de 2 milhões de bloqueios.

Desse grupo de pouco mais de 1,7 milhão de bloqueios em junho, apenas uma parte aconteceu por fraude. De acordo com a Controladoria Geral da União (CGU), cerca de 660 mil desses cortes aconteceu por causa de golpes. Esses, sim, terão que devolver o dinheiro.

A outra parte, no entanto, perdeu o benefício apenas por uma questão de atualização cadastral. De acordo com o Dataprev, aconteceram 497. 092 casos assim no último mês de junho. Número que o próprio Planalto considerou alto.

Auxílio Emergencial

Na última semana, o Governo Federal anunciou oficialmente a prorrogação do Auxílio Emergencial por mais três meses. Assim, o programa que duraria até julho, agora deverá seguir fazendo pagamentos até, pelo menos, o próximo mês de outubro.

E durante essa prorrogação, o Dataprev deverá seguir fazendo reanálises. E se eles continuarão fazendo isso, é provável que os cortes sigam acontecendo. De qualquer forma, eles dizem que abrirão possibilidade para contestações.

Nas redes sociais, muita gente está dizendo que não está conseguindo realizar essas contestações. O Dataprev explica que alguns casos não permitem mesmo a reclamação da negativa do Auxílio Emergencial.

7 Comentários
  1. Elias fravolini Diz

    Gente e um abisurdo meu marido doente com 63 anos esperando por uma aposentadoria a 3anos que nunca saiu e ainda teve o auxílio emergencial cortando nós só tem uma renda de 500reais mensal que e minha nossa nós pobre só tem vez em tempo de eleição fora isso somos esquecidos liga lá no 121manda contestar i ninguém conseguir sacanagem

  2. Nicolcina Geisiane Aparecida Viterbo Diz

    Meu benefícios foi cancelado indevidamente ,pois não ouve nenhuma mudança no meu histórico cadastral .e não deixam contestar inventaram para cortar estás fraldes mais como provar se não deixam isto e um vergonha pois estão nos roubando na cara dura este dinheiro que e nosso está indo para onde ?sou mãe de família e não resposta de nem um órgão pois se ouve se já teriam resolvido pois estou passando necessidade . D p u outro órgão responsável tem misericórdia de nós povo brasileiro mães solteiras olha nossa situação olha o que a gente está passando isso é uma fraude que vocês mesmos estão aguentando para tirar o dinheiro do pobre não façam isso não olha bem quem realmente não precisa e olha quem precisa.

  3. Júlio Assis Mota Diz
  4. Renata Diz

    Boa noite!

    Houve cortes inclusive de mães chefe de família solos assim como eu. Estou desde junho bloqueada no auxílio sendo que faço parte do bolsa família. liguei pro 121 e me dizem que o auxílio foi CANCELADO e pede pra contestar,sendo que entro no Dataprev aparece que meu auxílio foi aprovado mas as parcelas de junho e julho estão bloqueadas e não consigo contestar. Sou mãe solo não tenho renda e estou desesperada. Dizer que houve cortes tá ok mais eles não dizem o público alvo foram as mães chefes de família.

  5. Herculano Lopes Soares Diz

    O Governo deveria cortar o benefício dos políticos ladrões, que roubam todo dia e não acontece nada, nem a devolução do dinheiro roubado é devolvido aos cofres Públicos, eu sou cadastrado no Cadunico e tive meu benefício bloqueado, cancelado. Esse Governo vai perder as próximas eleições para o Luladrão e eu acho é pouco, eu mesmo não voto mais nele.

  6. Luciana Moraes Diz

    Não sei o porque eu fui bloqueada, pois não tenho emprego e nem um tipo de renda e tenho um filho para sustentar sozinha eu acho que esse governo não está vendo às dificuldades da população, e além disso também não consigo contestar no ministério da cidadania, espero que revise o meu auxilio emergencial 🙏🙏🙏🙌🙌🙌🤦‍♀️

  7. Ana Paula Daudt Diz

    Acho que todos tem o direito de saber porque foi bloqueado! Isso é um abuso de autoridade!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.