Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Bolsonaro volta a falar de valor mínimo de R$ 300 para Bolsa Família

Presidente disse pela segunda vez que o valor mínimo do novo Bolsa Família será mesmo de R$ 300 por beneficiário a partir de novembro

O Presidente Jair Bolsonaro voltou a falar nesta terça-feira (20) sobre o novo Bolsa Família. E pela segunda vez em dois dias, ele voltou a dizer que o valor mínimo do repasse dos programas será de R$ 300. Com isso, cai a teoria de que o chefe do estado só teria usado o termo errado na segunda-feira (19).

“Hoje em dia, a média do Bolsa Família é de R$ 192. O que pretendemos fazer? Fixar o mínimo de R$ 300 a partir de novembro. Então, vai ser um aumento de mais de 50%. É pouco? Sei que é pouco. Mas é o que a nação pode dar”, declarou o Presidente em entrevista à Rádio Itatiaia.

De acordo com o Ministério da Cidadania, o Bolsa Família paga hoje uma média de R$ 190 para os brasileiros em situação de vulnerabilidade. Cerca de 14 milhões de pessoas recebem esse montante todo mês. No entanto, uma parte deles fez uma troca temporária de programa e estão agora no Auxílio Emergencial.

Essa fala de Bolsonaro sobre o novo Bolsa Família mostra que o chefe do executivo não quer largar a ideia de subir o valor do benefício para a casa dos R$ 300. Informações de bastidores dão conta de que muita gente dentro do Ministério da Economia não está gostando nada desta ideia.

De acordo com apurações de jornais de Brasília, o máximo que o Ministério da Economia queria pagar por mês no Bolsa Família era uma média de R$ 270. E isso considerando que esse valor não era o ideal para eles. Esses membros queriam mesmo que os patamares subissem para casa dos R$ 250.

Novo Bolsa Família

Seja de R$ 250 ou de R$ 300, o fato mesmo é que os valores do novo Bolsa Família irão subir. Neste ponto, pelo menos, Bolsonaro e o Ministério da Economia concordam. Ambos acreditam que dá para aumentar.

O problema é mesmo descobrir como fazer isso. Nesta semana, o Ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que uma das soluções seria usar o dinheiro que vai sobrar depois que o Congresso aprovar a Reforma Tributária.

No entanto, ainda não dá para saber se é isso mesmo o que o Governo vai fazer. Mesmo a poucos meses do início dos pagamentos, o Palácio do Planalto ainda não bateu o martelo sobre como vai proceder sobre este tema.

Pressa do Congresso

Essa situação acabou irritando um pouco o próprio Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL). De acordo com interlocutores, o Deputado está dizendo que o Governo Federal precisa ter mais pressa no envio desse projeto.

De acordo com o Parlamentar, o Congresso não tem muito mais tempo para conseguir aprovar pautas polêmicas e complexas como esta. O Planalto não respondeu essa fala de Lira depois que ela repercutiu nas redes sociais.

Enquanto o novo Bolsa Família não chega, o Governo Federal segue realizando os pagamentos da quarta parcela do Auxílio Emergencial. Os valores, aliás, seguem os mesmos. Eles variam entre R$ 150 e R$ 375 a depender da pessoa que recebe.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.