Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

3/5 - (29 votes)

Auxílio emergencial de R$600 com pagamento de mais 14 parcelas

De acordo com Ministro da Cidadania, João Roma, essa parcela de outubro é a última do Auxílio Emergencial do Governo Federal

O Governo Federal está pagando neste mês de outubro a 7ª parcela do Auxílio Emergencial para algo em torno de 35 milhões de brasileiros. Existia até aqui uma expectativa de que o Planalto pudesse prorrogar esse benefício até 2023, com pagamento de mais 14 parcelas de R$600. No entanto, agora se sabe que isso não vai acontecer.

Veja também: Bolsonaro crava valor de R$400 no Auxílio Brasil

Em declaração na noite desta quarta-feira (20), o Ministro da Cidadania, João Roma, confirmou que o programa vai mesmo acabar em outubro. Assim, o Governo Federal vai começar o mês de novembro apenas com os pagamentos do Auxílio Brasil, que é o projeto que vai substituir o Bolsa Família.

“O auxílio emergencial será finalizado em outubro, este mês será o pagamento da última parcela do auxílio”, afirmou o Ministro na coletiva em questão. “Desta maneira, estamos chegando agora no mês de outubro ao final do auxílio emergencial”, completou o Ministro que afirmou que o programa teria sido um sucesso.

Essa acaba sendo uma declaração muito forte neste momento. É que João Roma era justamente o Ministro que estava tentando convencer o Governo Federal a prorrogar o Auxílio Emergencial por mais alguns meses. Acontece, no entanto, que aparentemente ele perdeu essa queda de braço com o Ministério da Economia.

Há cerca de duas semanas, Roma declarou que sem a prorrogação do Auxílio Emergencial, algo em torno de 25 milhões de pessoas que hoje recebem alguma ajuda do Governo ficarão sem nada a partir de novembro. Na ocasião, ele prometeu que faria algo para proteger esses cidadãos, mas não falou mais no assunto depois.

Empregos e Bolsa Família

Então no final das contas, a proposta que foi aceita pelo Governo Federal foi a do Ministro da Economia, Paulo Guedes. Eles acabarão com o Bolsa Família atual e com o Auxílio Emergencial ao mesmo tempo e colocarão no lugar apenas um programa social.

A aposta de Guedes é que o país melhore as condições de emprego. Assim, todas as milhões de pessoas que ficarão de fora do programa social a partir de novembro poderiam conseguir um trabalho e consequentemente uma renda.

Pesou para esta decisão de não prorrogar o Auxílio Emergencial justamente a questão do aumento da criação de vagas para os informais nos últimos meses. Por isso, muita gente dentro do Governo Federal afirma que não seria mais necessário pagar mais alguns meses do programa em questão.

Calendário do Auxílio

Dá para dizer, portanto, que o Governo Federal está pagando neste momento a última parcela do Auxílio Emergencial. Nesta quinta-feira (21), por exemplo, é a vez dos informais que nasceram em fevereiro. Estão recebendo também aqueles que fazem parte do Bolsa Família e que possuem o Número de Inscrição Social (NIS) terminando em 4.

Depois de um hiato de três meses sem pagamentos, o Governo Federal decidiu retomar os repasses do Auxílio Emergencial ainda neste último mês de outubro. Só que desta vez o programa está sendo executado em uma versão menor quando se compara com aquela que se viu no ano passado.

Hoje, de acordo com o Ministério da Cidadania, algo em torno de 35 milhões de brasileiros são usuários do Auxílio Emergencial do Governo Federal. Os valores permanecem os mesmos. São parcelas que variam entre R$ 150 e R$ 375 a depender do público que recebe o montante.

3/5 - (29 votes)

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

8 Comentários
  1. Roseli Diz

    Deus me livre quando muitas famílias que vão ficar sem o auxílio emergencial, vai virar um caos, e pessoas que trabalham sem registro em carteira com eventos na função de faxineira assim como eu e muitas ou muitos, que têm idade acima dos 50, e não vão conseguir emprego, como será daqui pra frente?

  2. Visionário Diz

    As mães solteiras agora falam e por alimentos para seus filhos, mas quando eram o alimento estava muito bom né… no Brasil é só oportunista mesmo.

  3. Sandy Diz

    Deus tenha misericórdia pra q fez esse auxílio Brasil se os benefíciantes do bolsa família já tava recebendo pq tirou o auxílio emergencial não e só os q tem bolsa família q presisa não todos presisa como vai ficar os q não tem bolsa família seus corruptos #auxiliopratodos#

  4. Bety Diz

    Vocês governantes deveriam ter vergonha do que estão fazendo com o povo que necessita deste benefício tão pequeno, tomara que nas eleições o povo lembre o que cada um de vocês fizeram. Aproveitem e diminuem seus salários e as mordomias que vocês tem as custas de um povo guerreiro e sofrido fora Bolsonaro e suas corjas

  5. Fernando Rosas Diz

    IREI DIRETO AO ASSUNTO: BOLSONARO COM ESSA PUTARIA, NÃO QUER AJUDAR O POVO BRASILEIRO, NAS ELEIÇÕES DO ANO QUE SE APROXIMA, ELE VAI SE FODER, VAI TOMAR BEM NO CAROÇO DA GOIABA. 👌, INVERTA.

  6. Andressa Diz

    E as mães solteira tinham que receber por que é com esse dinheiro que colocam na mesa alimentos prós seus filhos comerem as mães solteira tem que continuar recebendo

  7. Tânia Regina de Andrade Diz

    Nem dá para falar mais nada sobre esta perversidade que estão fazendo com as pessoas de grupo de riscos com comorbidades, idosas. Vamos conseguir trabalho onde seus governantes? Estão achando bonito as pessoas catarem comida no lixo? Aumentaram tudo etomaram de volta todo auxílio emergencial! Nos enganando sempre. Como comprar material para trabalhar na informalidade? Já tem pessoas morrendo de infarto porque não podem comprar mais nada para sobreviver. Eu não tenho renda nem ajuda de ninguém 😞😭

  8. Beatriz Diz

    Estou ferrada
    Trabalho com eventos e a COVID ainda não está controlada, tem pessoas várias que não vão tomar e nem tem nada a vê com o Bolsonaro
    São pessoas totalmente ignorantes de natureza que não boca tomaram vacina. Vai me faltar mto essa ajuda de150,00, me ferrou de vez 😞

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.