Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

5/5 - (1 vote)

Auxílio Brasil: população está dividida sobre mudanças no programa, diz Datafolha

De acordo com o Datafolha, há um empate técnico entra as pessoas que aprovam e reprovam o Auxílio Brasil do Governo Federal

O Instituto Datafolha realizou nesta semana uma pesquisa de opinião sobre a visão dos brasileiros em relação ao Auxílio Brasil. O programa do Governo Federal começou a fazer os seus pagamentos ainda em novembro e agora, de segundo o Ministério da Cidadania, está atendendo cerca de 14,5 milhões de pessoas.

Conforme o levantamento, há uma divisão de opiniões sobre o projeto em questão. O Datafolha mostra que cerca de 43% da população acredita que o Governo Federal agiu mal em substituir o Bolsa Família por essa nova versão do programa este ano. Por outro lado, outros 41% acham que essa mudança foi positiva.

De acordo com o Datafolha, isso seria algo como um empate técnico. Acontece que há uma margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Dessa forma, não dá para cravar se existe uma maioria apoiando ou não esse programa social do Governo Federal.

De toda forma, a pesquisa conseguiu captar que certos grupos sociais possuem uma opinião definida. Entre os apoiadores do PT, por exemplo, cerca de 62% acham que a mudança no programa foi um erro. Entre os eleitores do ex-presidente Lula essa margem é de 59%. O petista foi o responsável pela criação do antigo Bolsa Família.

Por outro lado, alguns grupos representam uma opinião favorável ao Auxílio Brasil. Entre os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, a margem de aceitação do benefício é de 76%. Outro grupo que apoia majoritariamente o novo programa social é dos empresários. Cerca de 58% acham que a mudança foi positiva.

Bolsa Família x Auxílio Brasil

Vale lembrar, no entanto, que o Bolsa Família e o Auxílio Brasil não possuem muitas diferenças em suas estruturas. Os dois seguem atendendo basicamente as mesmas pessoas. O calendário de recebimento também é o mesmo.

Segue valendo a lógica de se pagar o benefício sempre para os indivíduos que estão no Cadúnico e que estejam em situação de extrema-pobreza. Eles também pagam o dinheiro para quem está em condição de pobreza desde que more com uma gestante ou um menor de 21 anos de idade.

De diferente mesmo há a questão dos valores. O Auxílio Brasil vai pagar R$ 400 no mínimo enquanto o Bolsa Família pagava R$ 189 em média. Outra diferença é que o benefício de Bolsonaro não prevê uma obrigação de continuidade depois de 2022.

Olho nas eleições

A pesquisa do Datafolha mostra que tanto o Auxílio Brasil como também o Bolsa Família acabam sendo assunto nas eleições presidenciais do próximo ano. Candidatos já preparam os seus discursos sobre o programa.

O ex-presidente Lula, que lidera em todas as pesquisas eleitorais até aqui, disse que quer um Auxílio de R$ 600 para a população. Só que ele não vem dizendo que é contra os pagamentos de R$ 400 deste novo benefício de Bolsonaro.

O atual presidente também está usando o programa como uma plataforma política. Em seu ato de filiação ao Partido Liberal (PL), ele disse que fez o maior projeto social do mundo. Pelo menos essa é a visão do chefe do executivo.

5/5 - (1 vote)

Veja o que é sucesso na Internet:

1 comentário
  1. Weider Diz

    Eu só contra o governo fica dando dinheiro pra as pessoas emvese de cria emprego para. O povo ele está enganado o papulacao. Com esse assunto de auxílio Brazil o Brazil precisa e abri e serviço para o povo

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.