Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Auxílio Brasil: Governo divulga calendário de 2022

Pagamentos de janeiro começarão no dia 18, confira abaixo.

Nesta sexta-feira, 31 de dezembro, o Ministério da Cidadania publicou o calendário de pagamento do Auxílio Brasil para o próximo ano.

Dessa maneira, as datas obedecerão a mesma ordem pelo final do NIS (Número de Identificação Social) de cada participante. Além disso, os pagamentos continuarão nos dez últimos dias úteis de cada mês.

Portanto, aqueles que desejam saber quando receberão suas parcelas devem se atentar para o dia do mês em que ocorrerão os depósitos para o seu NIS. Isso significa, então, que os pagamentos sempre ocorrerão, primeiro, para quem possui o NIS de final 1. Já os de NIS com final 0 terão o depósito no último dia útil de cada mês.

Até o momento, o governo estima um total de mais de 17 milhões de famílias para o pagamento de janeiro. Isto é, o que significa em um aumento de 2,7 milhões de beneficiários. No entanto, com o recente veto presidencial, tudo indica que o programa não deve chegar a mais participantes do que este total.

“Com a medida, o Auxílio Brasil alcança mais de 17 milhões de famílias, o maior patamar de atendimento da história dos programas permanentes de transferência de renda do governo federal. A ação demonstra o compromisso desta gestão em garantir e ampliar continuamente o atendimento nas ações de proteção social para os cidadãos mais vulneráveis”, relatou o Ministério da Cidadania.

Leia mais:

Auxílio Brasil: lei do programa é sancionada

Auxílio Brasil: com veto, cerca de 5 milhões poderão ficar de fora

Beneficiários do Auxílio Brasil devem se atentar

O Auxílio Brasil surgiu com o objetivo de substituir o Bolsa Família. Assim, em novembro o novo programa social se iniciou para o mesmo público que o antigo benefício atendeu em outubro.

Neste primeiro momento, contudo, o programa apenas realizou uma correção dos valores, de forma que a parcela mínima de R$ 400 ficou para dezembro. Nesse sentido, é importante lembrar que não haverá um pagamento retroativo para novembro. Isto é, não haverá compensação pelo valor menor que R$ 400 que os beneficiários receberam anteriormente.

Ademais, os depósitos permaneceram ocorrendo por meio da Caixa Econômica Federal pela Conta Social Digital. Portanto, os participantes podem continuar usando o aplicativo Caixa Tem para acompanhar seus valores. Em conjunto, também é possível baixar o app Auxílio Brasil.

Além disso, os beneficiários deverão se atentar ao prazo de saque de suas parcelas. Isso significa, então, que é necessário retirar suas quantias dentro de 120 depois do depósito. Caso contrário, estes valores retornarão para o Governo Federal.

Desse modo, se tiverem qualquer tipo de dúvida poderão acessar:

  • Central de Atendimento do Ministério da Cidadania pelo telefone de número 121
  • Atendimento ao Cidadão da Caixa pelo telefone de número 111
  • Aplicativos Auxílio Brasil ou Caixa Tem

Calendário de janeiro de 2022

Os beneficiários do Auxílio Brasil já aguardam pelo primeiro pagamento do próximo ano. Desse modo, os pagamentos de 2022 seguirão ocorrendo nos dez últimos dias úteis do mês. O que significa, portanto, que em janeiro os depósitos acontecerão nos dias:

  • 18 de janeiro: para quem tem NIS de final 1
  • 19 de janeiro: para quem tem NIS de final 2
  • 20 de janeiro: para quem tem NIS de final 3
  • 21 de janeiro: para quem tem NIS de final 4
  • 24 de janeiro: para quem tem NIS de final 5
  • 25 de janeiro: para quem tem NIS de final 6
  • 26 de janeiro: para quem tem NIS de final 7
  • 27 de janeiro: para quem tem NIS de final 8
  • 28 de janeiro: para quem tem NIS de final 9
  • 31 de janeiro: para quem tem NIS de final 0

Leia mais:

Auxílio Brasil: não é preciso fazer novo cadastro para receber em janeiro

Auxílio Brasil: quanto tempo eu tenho para sacar o benefício?

Governo celebra medidas além do Auxílio Brasil

Em um contexto de crise econômica e sanitária, muitas famílias vulneráveis necessitaram do apoio governamental em 2021. Ademais, é necessário lembrar que, mesmo com a baixa de casos da doença a partir da vacinação, os efeitos sociais da pandemia continuarão. Portanto, programas sociais como o Auxílio Brasil serão muito importantes para os brasileiros.

Nesse sentido, o Ministério da Cidadania relembrou algumas das iniciativas que executou neste ano. De acordo com o órgão, então, foram cerca de 45 milhões de cidadãos que receberam seu suporte.

Sobre o assunto, o ministro da Cidadania, João Roma, declarou que “o Ministério da Cidadania se consolidou como braço social do Governo Federal. O Auxílio Brasil, divisor de águas nas políticas públicas de transferência de renda, é símbolo disso: dá suporte a gestantes, nutrizes, crianças e adolescentes ao mesmo tempo em que oferece ferramentas para valorizar os jovens e inserir os adultos no mercado”.

Outros programas sociais de 2021

Indo adiante, o Ministério da Cidadania ainda lembrou de outros programas sociais que foram importantes neste ano. Dentre eles, estão:

  • Auxílio Emergencial

Criado em 2020, o benefício retornou em abril deste ano, contudo, com os valores menores e regras mais rígidas. Ainda assim, de acordo com os especialistas, sem este benefício, o PIB (Produto Interno Brasileiro) seria de duas a três vezes menor do que já foi em 2020.

De acordo com o Ministério, houve um investimento total de R$ 59,5 bilhões para 39,4 milhões de pessoas.

  • Auxílio Gás

Ainda não iniciado neste ano para o público geral, este benefício terá o objetivo de auxiliar na compra do gás de cozinha. No entanto, o pagamento da primeira parcela já se iniciou para as famílias que se viram atingidas pelas chuvas da Bahia e de Minas Gerais. O restante dos beneficiários, então, receberão em janeiro, nas mesmas datas do Auxílio Brasil.

Assim, poderão contar com a quantia 5,5 milhões de famílias do Auxílio Brasil ou do BPC (Benefício de Prestação Continuada).

  • Auxílio Inclusão

O BPC se destina às pessoas com deficiência ou idosas que se encontram em vulnerabilidade financeira. Contudo, caso este grupo aumente de renda deixa de receber o benefício.

Dessa forma, surgiu o Auxílio Inclusão com a finalidade de incentivar a permanência no mercado de trabalho deste grupo. Portanto, as pessoas com deficiência que participavam do BPC, mas que conseguirem um emprego, poderão continuar recebendo um apoio governamental.

O valor é de meio salário mínimo para este público, desde que sua nova remuneração seja de, no máximo, dois salários mínimos.

Avalie o Texto.

Veja o que é sucesso na Internet:

1 comentário
  1. Edurda GUIMARÃES Dos Santos Freitas carlin Diz

    Como posso receber

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.