Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Auxílio Brasil de junho se encerra na quinta-feira, 30

Confira quais serão os beneficiários que receberão suas parcelas nesta semana.

O Auxílio Brasil de junho iniciou seus pagamentos na sexta-feira, dia 17. Então, começando pelos beneficiários com NIS (Número de Identificação Social) de final 1, o calendário prosseguiu de forma escalonada.

Assim, até o momento, todos os participantes de NIS com final de 1 a 6 já puderam ter acesso às suas quantias.

Nessa segunda-feira, dia 27 de junho, portanto, os pagamentos continuam. Desse modo, a semana será da seguinte forma:

  • 27 de junho, segunda-feira: recebem aqueles com NIS de final 7.
  • 28 de junho, terça-feira: recebem aqueles com NIS de final 8.
  • 29 de junho, quarta-feira: recebem aqueles com NIS de final 9.
  • 30 de junho, quinta-feira: recebem aqueles com NIS de final 0.

Os depósitos se encerrarão na quinta-feira, então, os beneficiários apenas terão acesso a novas quantias em julho. É importante lembrar, ainda, que a partir da data do pagamento o participante possui 120 dias para movimentar seu benefício. Isto é, para usá-lo de alguma maneira. Caso contrário, o valor poderá retornar para os cofres públicos.

Como movimentar o Auxílio Brasil?

Para ter acesso à sua quantia, o beneficiário pode:

  • Realizar o saque, ou seja, retirar a quantia de forma física pela Caixa Econômica ou nas Casas Lotéricas, por exemplo. Para tanto, é possível usar do cartão do programa social ou usar um código de saque que o aplicativo Caixa Tem gera.
  • Fazer transferências por meio de PIX. Nesse sentido, o beneficiário deverá acessar o aplicativo Caixa Tem e digitar as informações com atenção.
  • Realizar compras online. Neste caso, então, a compra poderá ocorrer a partir de cartão de débito digital que o próprio app gera ou por meio de QR Code. Isto é, um tipo de código de barras que algumas lojas usam.
  • Pagar contas e boletos em geral como, por exemplo, a conta de energia. Usando o aplicativo Caixa Tem, o beneficiário pode escanear o código de barrar do boleto ou digitá-lo a fim de realizar o pagamento.

Assim, a partir do aplicativo Caixa Tem o beneficiário consegue acessar diferentes serviços e modos de usar o Auxílio Brasil.

Além disso, caso tenha dúvidas, basta recorrer ao:

  • Telefone de número 121 do Ministério da Cidadania.
  • Número de telefone 111 da Caixa Econômica Federal.
  • Aplicativo Caixa Tem ou Auxílio Brasil.

18 milhões de brasileiros estão no programa

Para este mês de junho, o Governo Federal indica que o Auxílio Brasil está chegando a um total de 18,15 milhões de famílias. Nesse sentido, considerando o valor mínimo de R$ 400 do auxílio, o investimento chegou a R$ 7,6 bilhões.

Além disso, o Ministério da Cidadania indica que as regiões brasileiras contam com o seguinte quantitativo:

  • Nordeste: 8,6 milhões de famílias participantes.
  • Sudeste: 5,2 milhões beneficiários.
  • Norte: 2,1 milhões de cidadãos no benefício.
  • Sul: 1,2 milhão de famílias no Auxílio Brasil.
  • Centro-Oeste: 941 mil beneficiários.

É importante lembrar, contudo, que, a cada mês, o governo avalia todos os participantes, a fim de conferir se seguem cumprindo com os critérios de participação. Assim, para cada novo calendário de pagamentos, o número poderá ser diferente, considerando aqueles que saem do programa e os brasileiros que entram.

Veja também: Auxílio BR é garantido mesmo se eu conseguir um emprego?

Ademais, este número também leva em conta o orçamento do próprio programa. Isto é, visto que apenas é possível incluir novos beneficiários caso haja espaço fiscal para tanto.

Fila de espera apresenta aumento

De acordo com um estudo da Confederação Nacional de Municípios (CNM), 2.788.362 famílias brasileiras estão de acordo com as regras do Auxílio Brasil. Contudo, estes não estão no programa.

Isso ocorre porque estes cidadãos estão na fila de espera, aguardando que o governo os inclua na medida. Em março, o número deste grupo teve uma alta de 113%, momento em que haviam 1.307.930 de cidadãos na fila.

No início de 2022, o governo indica ter zerado a fila de espera. Contudo, o número tornou a crescer, levando em consideração o contexto econômico do país. Isto é, visto que com a alta do desemprego, fome e pobreza, mais brasileiros buscam a assistência do Auxílio Brasil.

O programa social se destinam aos cidadãos em estado de vulnerabilidade. Portanto, concede um valor mínimo de R$ 400 aos que:

  • Possuem, primeiramente, inscrição no Cadastro Único.
  • Cumprem com os critérios de renda, ou seja, de menos de R$ 210 mensais por pessoa.
  • Atualizam de forma regular seus dados.

Além disso, aqueles que, de fato, entram no programa ainda devem seguir algumas regras de manutenção como frequência escolar e acompanhamento de saúde, por exemplo. Caso contrário poderão deixar de receber o benefício.

A intenção é que, assim, estas famílias tenham a garantia de acesso a diferentes políticas públicas de saúde e educação.

Contexto aumenta procura por Auxílio Brasil

O crescimento da fila de espera do Auxílio Brasil vem ocorrendo em razão do contexto de crise econômica que o país enfrenta. Nesse sentido, o número de pessoas em extrema pobreza cresceu ao ponto de superar o número de participantes do programa social.

Dados do Cadastro Único demonstram, então, que já são 18,4 milhões de famílias na faixa de renda mensal de até R$ 105 por pessoa. Isto é, dentro da faixa de extrema pobreza.

De acordo com dados do Cadastro Único, a comparação entre pessoas na faixa de extrema pobreza e participantes do Auxílio Brasil se deu da seguinte forma nos últimos meses:

  • Novembro de 2021: 15,5 milhões de pessoas em extrema pobreza e 14,5 milhões de participantes do Auxílio Brasil.
  • Dezembro de 2021: 15,7 milhões em extrema pobreza e 14,5 milhões no Auxílio Brasil.
  • Janeiro de 2022: 17 milhões em extrema pobreza e 17,6 milhões no Auxílio Brasil.
  • Fevereiro de 2022: 17,5 milhões em extrema pobreza e 18 milhões no Auxílio Brasil.
  • Março de 2022: 17,8 milhões em extrema pobreza e 18 milhões no Auxílio Brasil.
  • Abril de 2022: 18,2 milhões em extrema pobreza e 18,1 milhões no Auxílio Brasil.
  • Maio de 2022: 18,4 milhões em extrema pobreza e 18,1 milhões no Auxílio Brasil.

Ademais, dentro dos brasileiros em situação de extrema pobreza, 2,2 milhões não recebem os valores do Auxílio Brasil. Assim, estes se encontram na fila de espera do programa, com um total de 2,7 milhões de famílias.

Veja também: Quem deve receber o ADICIONAL de R$ 200 no segundo semestre?

Confira, abaixo, o número de pessoas na faixa de extrema pobreza no Brasil, de acordo com a região:

  • Nordeste: 8,9 milhões de famílias.
  • Sudeste: 5,3 milhões de famílias.
  • Norte: 2,1 milhões.
  • Sul: 1,1 milhão.
  • Centro-Oeste: 827 mil.
Avalie o Texto.

Veja o que é sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.