Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Como o aumento da taxa Selic interfere no rendimento da poupança

Na última quarta-feira (16), o Banco Central divulgou um aumento de 4,25% na taxa Selic. A taxa não havia sofrido aumento algum entre os anos de 2015 e 2021. Entretanto, esse já é o terceiro aumento consecutivo no ano.  A decisão tomada pelo Copom definiu uma alta de 0,75 ponto porcentual, elevando a taxa Selic de 3,50% para 4,25%.

Com essa mudança, o valor dos produtos financeiros de renda fixa deve manter-se estável nas próximas semanas. Afinal, com o aumento da Selic, a inflação tende a diminuir. As decisões tomadas pelo Copom em conjunto com o Banco Central em relação à taxa base ocorrem a cada 45 dias.

A Taxa do Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic), é a taxa básica da economia brasileira. Portanto, serve como base para realização de empréstimos e financiamentos pessoais e para empresas por todo país. Bem como interfere na porcentagem em que a Poupança irá render, por exemplo.

Como o aumento da taxa Selic influencia a população

A taxa Selic é a taxa básica de juros. Quando esta se mantém baixa, paga-se menos juros pelos empréstimos. Desta forma, a rentabilidade nos investimentos na renda fixa também é mais baixa. Sendo assim, quando a taxa Selic tem uma alta, significa que os juros dos investimentos também vão render mais.

Portanto, o aumento da taxa Selic é uma ótima oportunidade para investidores com o perfil mais conservador. Pois, dessa forma é possível garantir rendimentos, sem a necessidade de investir o dinheiro em aplicações de renda variável.

Como consequência da alta da taxa Selic, a inflação deve ser controlada por um tempo no Brasil. Sendo assim, os consumidores podem ficar tranquilos em relação ao preço de produtos de consumo imediato, como as compras do mês, por exemplo.

Em contrapartida, as empresas devem sair prejudicadas. Com o aumento nos juros de empréstimos, torna-se inviável a produção de mercadorias em abundância. Portanto, mesmo que os menores valores nas compras beneficiem a população em geral, a menor produção de mercadorias não é favorável à geração de empregos ou expansão de negócios.

Ademais, com o aumento da taxa Selic os juros de crédito tendem a ficar mais caros. No entanto, o câmbio deve se estabilizar, valorizando a moeda brasileira. Desta forma, é possível reduzir a inflação sobre combustíveis, que tem atingido altas recordes durante o ano de 2021.

Porque não houve aumento da taxa básica de juros durante 6 anos

O Comitê de Política Monetária (Copom), juntamente com o Banco Central, por quase seis anos não realizou aumento algum na Selic. Isso ocorreu por conta de uma forte demanda das indústrias. Estas buscavam menores taxas de juros para realização de empréstimos e produção de mercadorias.

Ao manter a taxa Selic baixa, estimula-se o consumo da população brasileira. Com isso, é possível estimular a economia, fazendo com que a inflação aumente quando esta encontra-se abaixo da meta estipulada.

A meta de inflação é estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Esse órgão foi criado pela Lei nº 4 595, de 31 de dezembro de 1964. E possui como objetivo garantir a estabilidade do real e o desenvolvimento econômico do Brasil.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.