Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Aumento do auxílio emergencial: Governo não pretende ceder à pressão

De acordo com informações de bastidores, mesmo com protestos, o Auxílio Emergencial não deve subir de valor

O Governo Federal anunciou ainda na última semana a prorrogação do Auxílio Emergencial. O programa que faria pagamentos até o mês de julho, agora deve seguir até outubro, pelo menos. No entanto, os valores seguirão os mesmos, e não há nenhuma previsão de mudança quanto a este ponto.

De acordo com centrais de esquerda, manifestantes estão organizando um novo protesto contra o Governo para o próximo dia 24 deste mês. Entre outras coisas, o protesto pretende pedir mais uma vez pelo aumento no valor do Auxílio Emergencial. Será portanto a quarta manifestação em menos de dois meses a levantar este tema.

No entanto, se depender do Governo Federal, essa pressão das ruas não deverá fazer muita diferença. Isso porque independente das manifestações, os valores deverão seguir os mesmos. De acordo com o Ministro da Economia, Paulo Guedes, não seria possível aprovar um aumento. Isso porque o teto de gastos não permitira tal ato.

De acordo com o Ministério da Cidadania, o Auxílio Emergencial deste ano está chegando nas casas de cerca de 37 milhões de brasileiros. Os valores do programa de 2021 são notadamente menores do que aqueles que se viu em 2020. Na ocasião, o Governo chegou a pagar o benefício no valor de R$ 1200.

Agora, ainda de acordo com o Ministério, os valores das parcelas variam entre R$ 150 e R$ 375 a depender da pessoa que recebe. Com esse dinheiro não é possível comprar uma cesta básica mensal em nenhuma capital que revela os seus dados. Em Porto Alegre, por exemplo, essa quantia não daria para comprar nem metade dos itens alimentícios mais importantes.

Valor do Auxílio

A pressão em torno do valor do Auxílio Emergencial é grande e não é nova. Desde o início dos pagamentos, vários grupos sociais estão pedindo para que o Governo aumente o patamar para a casa dos R$ 600.

Na ocasião, o Governo chegou a imaginar que essa insatisfação fosse começar a cair depois do início dos pagamentos. No entanto, a reclamação segue forte mesmo três meses depois do início dos repasses do projeto.

De qualquer forma, o Planalto acredita que as manifestações não crescerão de tamanho. Assim, eles afirmam que a pressão em torno do valor do Auxílio Emergencial deve cair gradativamente a partir dos próximos dias. 

Prorrogação

De acordo com o Governo Federal, esses valores seguirão valendo inclusive para a prorrogação do Auxílio Emergencial que vai durar entre os meses de agosto e outubro. E não há indícios de que isso vai mudar.

Recentemente, o Ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que é possível que o Governo Federal aplique uma nova prorrogação no programa. Assim, o benefício poderia seguir fazendo pagamentos para além de outubro.

Tudo isso, no entanto, vai depender da questão da pandemia no Brasil. Apenas em uma situação de não melhora da situação é que o Governo deverá aplicar uma nova prorrogação no Auxílio Emergencial. Pelo menos foi o que disse o Ministro.

2 Comentários
  1. Magno Diz

    Em vês de ficarem nessa de liberar benefícios por que não diminui o valor das coisas assim gera mais empregos ,seda o peneficios para quem realmente precise, conheço muitos que não precisam e recebem e muitos que realmente precisa e não conseguiram liberação do benefício

    1. Maria Alice Diz

      Exatamente. Pessoas de carteira assinada pegando e pessoas desempregada como minha mãe não recebendo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.