Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

4.4/5 - (5 votes)

Acesso ao CadÚnico é ampliado em todo o Brasil

A ferramenta tem como objetivo possibilitar a entrada em 27 programas sociais, destinados aos cidadãos brasileiros de baixa renda.

O Governo Federal ampliou o acesso ao Cadastro Único (CadÚnico). Agora, jovens menores de 16 anos que residem em abrigos poderão se cadastrar no sistema de dados. A ferramenta tem como objetivo possibilitar a entrada em 27 programas sociais, destinados aos cidadãos brasileiros de baixa renda.

De acordo com o ministro da Cidadania, João Roma, o acesso ampliado ao Cadastro Único é um mecanismo para levar a cidadania aos brasileiros, que muitas vezes não conseguem ser registrados.

Veja também: Auxílio emergencial: CAIXA paga 7ª parcela em dois lotes nesta quarta

“O Cadastro Único é importante para identificarmos todas as pessoas em situação de vulnerabilidade”, disse o chefe de equipe. As alterações foram publicadas no Diário Oficial da União. Atualmente, o CadÚnico atende mais de 78 milhões de famílias em situação de vulnerabilidade.

Contudo, o cadastramento de pessoas sem vínculos familiares como menores de 16 anos sem um Responsável Familiar já está liberado. Desta forma, o Ministério da Cidadania garante um acompanhamento para que sejam incluídos na base nacional do sistema e em políticas públicas.

Como confirmar a inscrição no CadÚnico?

O cidadão pode confirmar a inscrição no sistema por meio do site e aplicativo CadÚnico. Basta preencher um formulário e verificar as informações. Outra opção é através do telefone 0800 707-2003, na opção 5.

Quem pode se inscrever no CadÚnico?

Vale ressaltar que a inscrição deve ser realizada em um Centro de Referência em Assistência Social (CRAS). Podem se inscrever no Cadúnico:

  • Famílias cuja renda mensal per capita é de até meio salário mínimo (R$ 550);
  • Famílias que possuem uma renda bruta mensal de até três salários mínimo (R$ 3.300);
  • Famílias indígenas e quilombolas;
  • Cidadão em situação de rua, sozinho ou com a família;
  • Cidadão que não se encaixa em nenhum dos critérios anteriores, mas que necessitam do cadastro para concessão de serviço específico.

Com relação a documentação necessário, o representante familiar (maior de 16 anos e preferencialmente mulher) deverá ter em mãos ao menos um dos documentos a seguir de cada membro da família:

  • RG;
  • CPF;
  • Certidão de nascimento;
  • Certidão de casamento;
  • Comprovante de residência;
  • RANI para famílias indígenas.
4.4/5 - (5 votes)
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.