Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

4/5 - (11 votes)

Abono PIS/Pasep: Veja quem terá direito ao benefício em 2022

O adiamento foi resultado do redirecionamento dos recursos para viabilizar a renovação do Programa Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm).

O abono salarial PIS/Pasep foi adiado para o próximo ano. O pagamento que ocorreria a partir de julho deste ano será concedido a partir de janeiro de 2022. O adiamento foi resultado do redirecionamento dos recursos para viabilizar a renovação do Programa Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm).

Veja também: Abono salarial PIS PASEP com valor de R$1.200 em fevereiro

Quem recebe o PIS/Pasep em 2022?

O benefício é destinado aos trabalhadores de iniciativas privadas e servidores públicos com carteira assinada. No entanto, ainda é necessário cumprir alguns requisitos para ter acesso ao abono. Confira quais a seguir:

  • Estar registro no PIS/Pasep há pelo menos 5 anos;
  • Ter trabalhador durante 30 dias, no mínimo, consecutivos ou não no ano-base;
  • Ter recebido remuneração média mensal de até dois salários mínimos no ano-base;
  • Estar com todas as informações corretas repassadas pelo empregador ao RAIS dos Governo Federal.

Vale ressaltar que o PIS é pago pela Caixa Econômica e o Pasep pelo Banco do Brasil. No entanto, quem não é correntista de nem um dos bancos pode sacar o PIS/Pasep em qualquer caixa eletrônico, desde que esteja com o Cartão Cidadão e a senha.

Caso não possua o Cartão Cidadão, é possível sacar o benefício diretamente na agência do banco em que lhe corresponde bastando apresentar um documento de identificação com foto, além da carteira de trabalho.

Há ainda expectativa acerca do pagamento em dobro no abono em 2022. Considerando o adiamento do benefício este ano, é possível que os trabalhadores de direito tenham acesso a dois abonos a partir de janeiro, um referente ao ano-base 2020 e outro referente ao ano-base 2021.

Todavia, conforme a projeção do INPC para o novo salário mínimo, os titulares que trabalharam durante todo o ano em 2020 e, talvez, em 2021, terão direito ao valor máximo de R$ 1.200 aproximadamente. Confira as proporções conforme o tempo de trabalho:

  • 1 mês de trabalho: R$ 100;
  • 2 meses de trabalho: R$ 200;
  • 3 meses de trabalho: R$ 300;
  • 4 meses de trabalho: R$ 400;
  • 5 meses de trabalho: R$ 500;
  • 6 meses de trabalho: R$ 600;
  • 7 meses de trabalho: R$ 700;
  • 8 meses de trabalho: R$ 800;
  • 9 meses de trabalho: R$ 900;
  • 10 meses de trabalho: R$ 1.000;
  • 11 meses de trabalho: R$ 1.100;
  • 12 meses de trabalho: R$ 1.200
4/5 - (11 votes)

Veja o que é sucesso na Internet:

1 comentário
  1. Fatima Rodrigues de Oliveira Diz

    Gostei muito legal agradeço obrigada

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.