Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

A Escola de Frankfurt: resumão!

Escola de Frankfurt: um resumo

A Escola de Frankfurt foi uma vertente da filosofia alemã que surgiu na primeira metade do século XX

Esse tópico é cobrado por muitas provas de filosofia, com um destaque para aquelas dos vestibulares e do ENEM.

Escola de Frankfurt: Introdução 

A Escola de Frankfurt, criada no ano de 1924, é uma vertente da Filosofia Contemporânea que possui um viés interdisciplinar. A Escola era formada por membros do Instituto para Pesquisa Social da Universidade de Frankfurt, na Alemanha, e tinha como objetivo o estabelecimento de uma releitura da teoria Marxista para a criação de uma nova análise social.

Escola de Frankfurt: Contexto Histórico

A Escola de Frankfurt foi fundada em 1924. Nesse mesmo ano ocorreu a fundação do Instituto para Pesquisa Social da Universidade de Frankfurt. 

Em 1930, sob a direção de Max Horkheimer, o Instituto precisou ser transferido para a cidade de Genebra, na Suíça. Isso porque, o Nazismo, em ascensão na época, não permitia a reunião de intelectuais que discutiam teorias de viés marxista (o que era o caso dos teóricos da Escola). A Escola e o Instituto se instalariam, posteriormente, nos Estados Unidos e retornariam para a cidade de Frankfurt somente no ano de 1953.

Escola de Frankfurt: Características

A Escola de Frankfurt representa a quinta fase da filosofia alemã e reunia pensadores denominados de neomarxistas. Essa corrente filosófica foi responsável pela criação de expressões e conceitos que são extremamente utilizados até os dias de hoje. Podemos citar, principalmente, as expressões “cultura de massa” e “indústria cultural”.

Os pensadores dessa escola, denominados de frankfurtianos, se basearam nas ideias de intelectuais como Kant, Marx, Weber, Freud e Hegel para formular as suas teorias. As principais reflexões se ocupavam da denominada superestrutura, ou seja, a família, a sociedade e as mídias. 

Assim, analisando a sociedade do início e da metade do século XX, os pensadores criaram o termo “cultura de massa”, ou seja, aquela cultura que seria produzida especialmente para o consumo de uma grande parcela da população. Ainda, no mesmo viés, a Escola desenvolveu também o termo Indústria Cultural: no século XX, a produção do conhecimento, da cultura e das manifestações artísticas se tornou responsabilidade das indústrias que, por sua vez, produzem produtos voltados para a alienação das massas. Os principais teóricos que participaram no desenvolvimento desses dois conceitos foram Theodor Adorno e Max Horkheimer.

Ainda, é válido destacar que os principais conceitos e as principais ideias desenvolvidas pela Escola se baseavam em uma crítica ao capitalismo e aos rumos que esse sistema havia tomado no século XX. Por fim, podemos dizer que os pensadores produziram obras interdisciplinares e que pertenciam às mais diversas áreas do conhecimento, como a história, a ciência política, a psicologia, a antropologia e a economia.

Escola de Frankfurt: Pensadores

Diversos foram os pensadores que contribuíram para o desenvolvimento das teorias que fizeram parte da Escola de Frankfurt. Porém, dentre os principais, podemos destacar: 

  • Theodor Adorno
  • Max Horkheimer
  • Friedrich Pollock
  • Walter Benjamin
  • Jürgen Habermas

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.