Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

13º salário do Bolsa Família em dezembro? Confira o que disse Bolsonaro

Segundo informações do presidente da República, Jair Bolsonaro, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, tem a responsabilidade da 13ª parcela do programa Bolsa Família em 2020 não ser paga em dezembro de 2020. O deputado respondeu chamando o chefe do Executivo de mentiroso.

A 13ª parcela do programa Bolsa Família foi uma promessa de campanha do presidente Bolsonaro. No ano passado, em 2019, por meio de uma medida provisória (MP), o pagamento extra foi efetuado. Em sua tramitação no Congresso, o relator do texto, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), sugeriu para que o abono extra de fim de ano fosse pago por todos os anos.

A medida provisória, no entanto, perdeu validade no dia 25 de março, quando estava na pauta da Câmara dos Deputados e ainda seguiria para o Senado.

“Você está reclamando do 13º do Bolsa Família, que não teve. Sabia que não teve este ano? Foi promessa minha? Foi. Foi pago no ano passado? Mas o presidente da Câmara deixou caducar a MP. Vai cobrar de mim? Cobra do presidente da Câmara, que o Supremo agora não deu o direito de ele disputar a reeleição. Cobra dele”, disse Bolsonaro em sua live.

De acordo com o Jornal Folha de S. Paulo, a MP, no entanto, não foi votada por causa de uma articulação do próprio governo. Na época, o impacto pela medida seria de R$ 8 bilhões.

“Nunca imaginei que Bolsonaro fosse mentiroso”, disse Maia ao jornal. “Foi pedido do governo, mas tem um projeto do deputado Darci de Matos [PSD-SC] criando o 13º. Posso votar amanhã [sexta-feira (17)], se ele quiser”, disse o presidente da Câmara.

O projeto de lei é o de número 4439/20, que autoriza o pagamento em dezembro, de abono de até um salário mínimo à pessoa com deficiência e ao idoso com mais de 65 anos que recebam o BPC (Benefício de Prestação Continuada).

Fila do Bolsa Família chega a 1 milhão

O auxílio emergencial reduziu de valor após o pagamento da 5ª parcela, no mês de agosto. Dessa forma, a fila de espera para entrar no Bolsa Família aumento, alcançando, no fim de setembro, o patamar de 1 milhão de cadastros, segundo informações do Jornal Folha de S. Paulo.

A lista de cadastrados, assim, voltou ao que foi registrado no fim de 2019, logo após sucessivos cortes da cobertura e congelamento do ingresso no benefício. Pelo menos 1 milhão de famílias ficaram na espera.

Em março, quando foi anunciado o auxílio emergencial, o Ministério da Cidadania suspendeu completamente o processo de análise dos requerimentos para recebimento do Bolsa Família. Todos tiveram direito ao auxílio de R$600, atendendo, assim, mais pessoas que o programa social.

No fim de setembro, quando o Governo reduziu o valor de R$600 para R$300, o Ministério da Cidadania voltou a analisar os cadastrados no Bolsa Família. Segundo dados obtidos pela Folha, são 999.673 pessoas que aguardam para entrar no programa.

A tendência, com o fim do auxílio emergencial no fim de dezembro, é a fila continuar a subir cada vez mais a partir do mês de janeiro de 2021, conforme avalição dos técnicos do governo. A crise econômica provocada pelo novo coronavírus e a possibilidade de uma segunda onda na pandemia, segundo eles, devem aumentar a pobreza no país.

Para isso, o orçamento do Bolsa Família para o próximo ano foi reforçado. O dinheiro passou de R$ 32,5 bilhões em 2020 para R$ 34,9 bilhões para 2021.

Com isso, a fila de 1 milhão de famílias brasileiras, registrada no fim de setembro, já ocupa o espaço a ser aberto pela ampliação do orçamento para 2021. Os cadastros aprovados após setembro, então, impactam o Bolsa Família. O Ministério da Cidadania ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Bolsa Família em janeiro de 2021

Após o fim do auxílio emergencial e ainda sem acordo para criação do Renda Cidadã, o Bolsa Família seguirá sendo pago em 2021. A expectativa é que o auxílio emergencial de R$300 não seja mais prorrogado para 2021. Dessa forma, resta ao Governo manter o programa Bolsa Família neste momento.

Uma alternativa viável seria a criação do Renda Cidadã. Porém, ainda não há uma definição sobre o lançamento do novo programa assistencial. No momento, há uma discussão entre parlamentes e os ministros da Economia, Paulo Guedes e da Secretaria do Governo Eduardo Ramos, além do presidente Jair Bolsonaro.

Atualmente, o Bolsa Família beneficia mais de 14 milhões de brasileiros e tem um orçamento de R$ 29 bilhões por ano. Para 2021, o Governo prepara um orçamento de R$ 35 bilhões.

Uma outra mudança que pode acontecer é uma possível “turbinada” por parte do governo com mais orçamento que poderá servir como um auxílio para milhões de brasileiros vulneráveis. A ideia agora é que mais família tenham acesso ao programa em 2021.

No entanto, uma eventual ampliação do Bolsa Família para incluir uma parcela vulnerável da população que ficará desamparada com o fim do auxílio emergencial só deverá acontecer a partir de fevereiro, quando o orçamento da União para 2021 será discutido.

Avalie o Texto.

Está "bombando" na Internet:

6 Comentários
  1. Sônia Drummond Diz

    O. Bolsonaro só abre a boca pra falar o que não interessa, Manda Vacinar o povo do Brasil somos sempre os mas. atrasados , não pensa nos brasileirosl libera logo essa vacina tá esperando o que o México já começou a Costa Rica e nos nada enrolado

  2. Azenate Diz

    o nosso presidente da República tem feito muitas obras paradas e necessarias para o desenvolvimento do nosso país desejo que os que não exergam passam a ver .Jair Bolsonaro 2222

  3. Tulio Diz

    E os que recebem o vergonhoso auxílio vagabundo, também recebem? Falta de caráter e vergonha na cara desses políticos incompetentes.

  4. Tiago Marcos silva Diz

    Bolsonaro não está nem aí pra ninguém,

    1. Alex Diz

      Parece que vc não leu matéria.

      1. Gracyelle Diz

        Sem o auxílio emergência, muitas famílias irão passar fome, o preço do gaz aqui na minha cidade aumentou para 80 reais, se o auxílio emergêncial fosse pago pelo menos durante esses três meses já daria para todos quitarem suas dividas! Meu presidente pense melhor! Eu sei que o senhor tem algo bom para nós brasileiros que confiamos em vc inteiramente

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.