Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

130 mil pessoas deixam o Brasil em meio a desemprego e crise

Apesar das restrições aplicadas devido à pandemia de covid 19, o povo brasileira mais uma vez volta a tentar a vida em outros países. Segundo dados coletados pela Polícia Federal, foram registrados mais de 131,5 mil brasileiros que deixaram o país e não retornaram entre janeiro e maio de 2021. Tal movimento migratório, pode-se dar devido à atual crise econômica e alta taxa de desemprego no país.

Segundo Tadeu Oliveira, coordenador estatístico do Observatório das Migrações Internacionais (OBMigra) e pesquisador do IBGE, este fenômeno já ocorreu outras vezes no país entre as décadas de 80 e 90. Este evento pode-se dar pela alta onda de desemprego no país que vem batendo recordes.

A coleta destes dados é realizada através do Sistema Internacional de Tráfego (STF), que consiste em uma plataforma utilizada pela PF para controle de entrada e saída de pessoas no Brasil. Sendo assim, toda vez que alguém passa por pontos de controle migratório, como aeroportos, portos e fronteiras terrestres, este banco de dados é atualizado.

Qual é o novo destino dos brasileiros?

Segundo o pesquisador, dentre vários países, Estados Unidos e Portugal estão em destaque como os principais destinos destes emigrantes. Países como o Reino Unido e Japão, também começaram a apresentar um fluxo crescente de emigrantes brasileiros.

Oliveira pontua que o movimento observado neste ano retoma algo que já aconteceu na década passada, porém desta vez a entrada em outros países está bem mais difícil devido ao período pandêmico.

A título de exemplo, dentre toda Europa, apenas a Irlanda e a Suíça permitem a entrada de brasileiros e os mesmos já devem estar imunizados contra covid-19. Segundo os dados coletados, em 2021, foram registrados 457 mil brasileiros que deixaram o país entre janeiro e maio. Dentre eles 305,5 mil voltaram algumas semanas depois.

Portanto, o saldo líquido de saída de brasileiros acumulou 131,5 mil brasileiros, ou seja, cerca de um terço dos brasileiros que saíram do país não retornaram. Já no ano de 2019, a proporção foi totalmente diferente, apenas 1 a cada 29 brasileiros que deixaram o país não retornou.

Reflexos do desemprego

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a taxa de desocupação do ano de 2020 apresentou recordes em 20 estados brasileiros, com aumento na média nacional de 11,9% em relação a 2019. Os dados divulgados informam que o país finalizou o trimestre com recorde de desemprego, batendo 14,7%. No total, são 14,8 milhões de desempregados por todo território brasileiro.

Assim, ao analisar os meses de janeiro a abril, observamos que o número de desocupados totalizam 500 mil, que em comparação ao mês de abril do ano de 2020 aumentou cerca de 2 milhões a população de desempregados no país. Já em outro momento, a população que está localizada fora da força de trabalho cresceu cerca de 7,7%.

Em outro momento, a população empregada no setor privado com carteira de trabalho assinada, teve uma queda de 8,1% em relação ao mesmo período do ano de 2020, ou seja, 2,6 milhões de pessoas a menos. Além disso, o rendimento real habitual teve uma queda de 5,4% em relação ao ano anterior devido ao desemprego característico.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.