Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Urgente: Bolsonaro alterna a titularidade de 6 ministros

O presidente Jair Bolsonaro acaba de oficializar nesta segunda-feira (29) seis mudanças no governo.

Em nota, ele confirmou a demissão do ministro da Defesa, Fernando Azevedo, da Advocacia-Geral da União, José Levi, e a nomeação da deputada Flávia Arruda como ministra da Secretaria de Governo.

Flávia é um nome próximo ao presidente da Câmara, deputado Arthur Lira, que na semana passada cobrou uma mudança clara de postura do governo federal no enfrentamento da pandemia.

Na ocasião, afirmou que a declaração poderia servir como um “sinal amarelo” do Congresso ao chefe do Executivo.

Em tom de alerta, Lira foi claro ao dizer que o Congresso tem à disposição “remédios políticos amargos”, alguns “fatais”, com o objetivo de impedir “a espiral de erros de avaliação”.

Veja o que mudou:

O Presidente Jair Bolsonaro alterou a titularidade de seis ministérios nesta segunda-feira (29).

Com isso, as seguintes nomeações serão publicadas no Diário Oficial:

Casa Civil da Presidência da República: Bolsonaro manteve um general da reserva na chefia da Casa Civil. Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira era ministro da Secretaria de Governo até esta segunda-feira (29);

Defesa: nesta pasta, Bolsonaro trocou um general da reserva do Exército por outro e Walter Braga Netto assumirá a vaga de Fernando Azevedo e Silva que pediu demissão;

Justiça e Segurança Púbica: o governo terá no Ministério da Justiça o delegado da Polícia Federal, que chefiava até esta segunda-feira (29) a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, Anderson Gustavo Torres.

Relações Exteriores: para o lugar de Ernesto Araújo, o governo contará com Carlos Alberto Franco França que é diplomata de carreira e foi promovido a embaixador há pouco mais de um ano.

Advocacia-Geral da União: Bolsonaro promoveu o retorno do advogado André Luiz Mendonça para Advocacia-Geral da União (AGU). Ele era o titular da pasta no início do governo e foi deslocado para o Ministério da Justiça no ano passado, após a saída de Sergio Moro do governo.

Secretaria de Governo da Presidência da República: Bolsonaro nomeou a deputada federal Flávia Arruda para substituir o general Luiz Eduardo Ramos na articulação política do governo federal.

A deputada é esposa de José Roberto Arruda, ex-governador do Distrito Federal condenado por participação em um esquema de corrupção conhecido como “Mensalão do DEM”.

Dança das cadeiras

Até o último final de semana, somente a substituição de Ernesto Araújo era tida como provável para os próximos dias.

Bolsonaro aproveitou a saída de Araújo para aumentar a amplitude da reforma no governo atual que conta com 22 ministérios.

Com a reforma ministerial, são apenas nove os ministros que continuam nos mesmos cargos desde o início de seu mandato:

Paulo Guedes – Ministério da Economia;

Marcos Pontes – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações;

Tereza Cristina – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento;

General Heleno – Gabinete de Segurança Institucional;

Wagner Rosário – Controladoria-Geral da União;

Tarcísio Freitas – Ministério da Infraestrutura;

Bento Albuquerque – Ministério de Minas e Energia;

Damares Alves – Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos;

Ricardo Salles – Ministério do Meio Ambiente.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.