Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Salário mínimo vai aumentar? Saiba aqui

O atual salário mínimo deste ano, fixado pelo governo Bolsonaro, não repõe sequer a inflação do ano passado.  Isso significa que, consequentemente, os brasileiros que vivem com este valor devem perder o poder de compra.

Nesta terça-feira (12),  o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que deveria ter sido usado para correção do mínimo. O índice acumulou alta de 5,45%, o que deveria elevar o salário mínimo para R$1.101,95 neste ano.

Porém não foi o que aconteceu já que o valor fixado foi de R$ 1100, equivalendo ao reajuste de 5,26% – um total de 0,16% a menos do que o recomendado.

È previsto em lei que o governo deve reajustar o valor o do salário mínimo, ao menos,  pela variação do INPC do ano anterior. Todavia, em todos os anos o governo faz um reajuste inicial no primeiro dia do ano e depois corrige o valor, se necessário.

Isso acontece pois o resultado oficial do do INPC pelo IBGE, não costuma ser contabilizado e divulgado desde o primeiro dia do ano. Neste ano, foi divulgado nesta terça-feira (12).

No ano passado, por exemplo, o mínimo estava fixado primeiramente em R$ 1.039 e passou para R$ 1.045, como correção de acordo com INCP.

Até o momento o Ministério da Economia não se pronunciou  sobre a possibilidade do salário mínimo ser R$ 1.101,95 neste ano. O reajuste deve servir de referência para 49 milhões de trabalhadores do país, de acordo com informações do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Veja o salário mínimo dos últimos anos abaixo:

AnoSalário Mínimo
2021R$1.100
2020R$1045
2019R$998
2018R$954
2017R$937
2016R$880
2015R$788

Impactos no orçamento

A necessidade de corrigir o valor do salário mínimo deve gerar mais despesas para o governo federal. Isso porque os apasentados e beneficários do Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (BPC), por exemplo, não podem receber menos que o salário mínimo vigente do ano.

De acordo com estimativas feitas pelo governo, R$ 1 real de aumento do salário mínimo pode significar uma despesa de R4 343 milhões. Já uma alta de R$ 2, como deve ser agora, representaria no total cerca de R$ 680 milhões a mais para o orçamento do governo este ano.

Se reajusto, o salário mínimo também seré responsável por aumentar o gasto com despesas obrigatórias do governo. Consequentemente os gastos “discricionários”,  chamados popularmente de gastos livres ficariam com menos recursos.

Avalie o Texto.
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.