Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

PRORROGAÇÃO do auxílio emergencial de R$300 de janeiro a março de 2021

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) lançou um novo projeto de lei (PL) que propõe a prorrogação do auxílio emergencial com pagamentos de janeiro a março de 2021.

Segundo informações do senador, já existem conversas com outros parlamentares sobre a iniciativa, mas ainda não há previsão para sua inclusão na pauta da Casa.

O auxílio emergencial e estado de calamidade pública estão previstos para terminar, juntos, em 31 de dezembro de 2020. O projeto apresentado pelo Senador Vieira propõe que esse prazo seja prorrogado até março de 2021 por conta dos impactos econômicos causados pela pandemia do novo coronavírus. Sobretudo, ainda, que a pandemia continua e que a vacinação levará um tempo ainda indefinido para ser concluída.

“O fato é que, por conta da inércia do governo federal, simplesmente não teremos um programa nacional de vacinação em execução antes de março. É preciso fazer essa ponte para manter o mínimo de estabilidade social até lá”, disse o senador.

Os parlamentares tentarão votar na quarta-feira, 16 de dezembro, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) diretamente em plenário em sessão do Congresso. Após isso, os congressistas devem voltar às suas bases para as festas de fim de ano.

O auxílio emergencial, aprovado em março no Congresso, foi pago inicialmente por 3 meses com o valor de R$600 aos chamados vulneráveis. Após isso, o benefício foi estendido por mais 2 meses, com o mesmo valor. Por fim, em setembro, o benefício foi estendido em mais 4 parcelas até dezembro de 2020.

O Governo Federal chegou e estipular a criação de um novo programa de renda permanente, com valores maiores que os pagos pelo Bolsa Família, mas até o momento não foi possível incorporar o tema.

O que diz o Governo sobre a prorrogação do auxílio emergencial até 31 de março de 2021

Na última semana, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez nova declaração sobre a prorrogação do auxílio emergencial. Durante evento em Foz do Iguaçu, o presidente se mostrou contrário a estender o benefício mais uma vez. Atualmente, o programa paga parcelas de R$ 300 para os beneficiários. O auxílio finaliza os pagamentos no dia 31 de dezembro.

“Nada mais dignifica o homem do que trabalho, é o que nós precisamos. Temos internamente os nossos problemas, ajudamos o povo do Brasil com alguns projetos, por ocasião da pandemia. Você [Benítez] fez o mesmo no Paraguai, aqui do lado. Alguns querem perpetuar tais benefícios, ninguém vive dessa forma, é o caminho certo para o insucesso”, afirmou Bolsonaro, se referindo ao presidente do Paraguai, que estava no local.

Nas redes sociais, o presidente afirmou ainda que há risco de apagão no Brasil, se nada for feito. Bolsonaro se referia aos baixos níveis da água em represas de hidrelétricas.

Também recentemente, o presidente comentou uma possível prorrogação do auxílio conversando com apoiadores em frente ao Palácio do Planalto. Ao ser perguntado por um apoiador se o programa seria prorrogado, o presidente respondeu: “Pergunta para o vírus”. Em seguida, Bolsonaro completou que o governo se prepara para todos os cenários, mas “tem que esperar certas coisas acontecerem”.

Paulo Guedes, ministro da Economia do governo, também já se mostrou contrário à ideia de prorrogar o programa diversas vezes. Mais recentemente, o ministro afirmou que não há probabilidade alguma ou qualquer discussão sobre o tema no governo.

O auxílio emergencial foi criado para pagar três parcelas de R$ 600 aos trabalhadores mais vulneráveis. Em seguida, foi prorrogado para mais duas parcelas de R$ 600. Por fim, foi prorrogado para mais quatro parcelas de R$ 300. Neste último caso, nem todos têm direito ao pagamento. Apenas as cinco parcelas de R$ 600 são garantidas a todos os aprovados.

Veja também: Auxílio de R$300 liberado hoje aos brasileiros; VEJA como receber em sua cidade

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
8 Comentários
  1. Léia Diz

    O mais fácil é falar mal das pessoas, cuidado pra não volta contra si mesmo

  2. Marcos Diz

    Bom dia Bolsonaro faz o seguinte fica desempregado abre mão do seu salário..vem para o lugar de várias famílias passando ..fome onde não pode trabalha na Rua .onde não pode sai ..de casa .onde não pode fazer nada desempregado ..troca de lugar …se o sr.que fazer isso ..tranca o povo dentro de casa tem q paga o auxílio. ..

  3. Gerlania Rafaela Pereira Diz

    Gostaria de saber como vai fica situação agora no meu caso eu sou solteira crio meu filho sozinha desempregada n sei oq fazer já que n pode ir para ruas trabalha oq sera de mim é meu filho de 6 anos

  4. Alessandra Diz

    E quê o governo não saber quantas famílias estão passando fome com o final do auxílio

  5. Hilda Maria da Silva Diz

    Bom dia. Porque as pessoas aposentadas receber o bolsa família. Ê quem realmente precisa ñ consegue o bolsa família. Você tem investigar isso direito.

  6. Elamar Cabral Diz

    É um descaso do governo com o povo brasileiro.
    Vivemos na mais alta pandemia, massacrados pela falta de emprego e consequentemente, a comida nos falta à mesa…não sabemos o que fazer com tanta deformação de vida humana. No mínimo, gostaríamos de ser respeitados como seres dingos, de sobrevivência…acreditamos ser a imagem, de um governo falido…sim, a degradação do Brasil é representada por nós.

  7. Iivanildo soares vanderley Diz

    Estou muitissimo transtornado com NAO do governo de bolsonaro ao 14 salario confiava e tinha certeza que ele nao nos desanpararia mas nos matou de vergonha votamos confiante que seria um governo diferente voltado para os pobres

  8. Soniamariasoares 2651@gmail.com Diz

    Oi Boa noite apdsj eu estou sem trabalho faço biscate mais sempre não tem já estou com 58 anos solteira

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.