Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Prévia da inflação de janeiro é a maior desde 2016

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que é uma prévia da inflação do Brasil, registrou 0,78% em janeiro. O número também significou um recorde: o maior resultado desde janeiro de 2016, quando o parâmetro  ficou em 0,92%.

Os dados foram divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Já no acumulado de 12 meses, o IPCA-15 ficou em 4,30%, acima dos 4,23% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores.

Veja o resultado para cada um dos grupos:

  • Alimentação e bebidas: 1,53%
  • Habitação: 1,44%
  • Artigos de residência: 0,81%
  • Vestuário: 0,85%
  • Transportes: 0,14%
  • Saúde e cuidados pessoais: 0,66%
  • Despesas pessoais: 0,40%
  • Educação: 0,11%
  • Comunicação: -0,01%

Inflação teve alta em todas as regiões

O recorde negativo foi impulsionada por todas as 11 regiões analisadas pelo IBGE. Todas eles registraram alta do IPCA-15 em janeiro, destas apenas quatro tiveram números abaixo da média nacional.

Recife liderou a alta da inflação, seguido de Porto Alegre e Fortaleza.  Abaixo da média nacional ficaram ainda Brasília, Salvador, Curitiba e São Paulo.

Veja a prévia da inflação para cada uma das regiões pesquisadas pelo IBGE:
  • Recife: 1,45%
  • Porto Alegre: 1,11%
  • Fortaleza: 0,97%
  • Belo Horizonte: 0,97%
  • Rio de Janeiro: 0,95%
  • Goiânia: 0,89%
  • Belém: 0,78%
  • Brasil: 0,78%
  • São Paulo: 0,63%
  • Curitiba: 0,62%
  • Salvador: 0,38%
  • Brasília: 0,33%

Os resultados fazem parte de coleta realizada no período de 12 de dezembro de 2020 a 14 de janeiro de 2021, em comparação aos dias 13 de novembro a 11 de dezembro de 2020.

Perspectivas e meta de inflação

Em 2021 já há uma meta central do governo para inflação no ano: é esperado que fique em 3,75%. Há uma tolerância entre 2,25% a 5,52%.

Com a pandemia em alto níveis no país, porém, não é possível prever se a meta será atingida, mas a expectativa é está.

Paulo Guedes tem afirmado que a vacinação em massa e redução de números de mortes são fatores primordiais para a retomada a níveis econômicos melhores. Especialistas também têm dito que a vacinação também pode impactar a retomada de empregos no país.

Outra estratégia para atingir a meta da inflação é a redução de taxa básica de juros da economia (Selic), pelo Banco Central (BC). Hoje a Selic está em 2% ao ano.

Já a pesquisa pesquisa Focus do Banco Central, da projeção dos analistas das instituições financeiras, a inflação anual deve fechar em 3,50%.

Impulsionada pelo preço dos alimentos, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação do Brasil, terminou o ano de 2020 registrando alta de 4,52%. A meta inicial era de 4%. Ou seja, a inflação cresceu 0,52% a mais do que o esperado.

O resultado não é animador, pelo contrário. A alta é a maior registrada desde 2016, quando o índice atingiu 6,29%, conforme dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.