PIX: 5,4 bilhões de transações foram feitas no segundo trimestre

De acordo com um levantamento divulgado pelo Banco Central do Brasil, no segundo trimestre deste ano foram realizadas 5,4 bilhões de transações via PIX. Os dados ainda indicam que o número de operações de pagamento no crédito foi de aproximadamente 4 bilhões e no débito 3,8 bilhões.

Segundo o Banco Central, o PIX foi o maior responsável pelo crescimento anual de 40% no número total de transações financeiras em 2021. “O crescimento da quantidade total de transações (excluídas aquelas em espécie) observado em 2021, em comparação ao ano anterior, se deu, principalmente, pela adoção acelerada do uso do Pix pela sociedade, como nova alternativa para efetuar seus pagamentos”, afirmou o BC, em nota.

Como funciona o PIX?

O PIX, sistema de pagamentos instantâneos gerido pelo Banco Central, permite que recursos sejam transferidos entre contas em poucos segundos, a qualquer hora ou dia, inclusive aos finais de semana e feriados. 

De acordo com a autarquia responsável pelo PIX, as transferências podem ser feitas a partir de uma conta corrente, conta poupança ou conta de pagamento pré-paga. O PIX foi lançado em novembro de 2020 e já se consolidou como um dos principais meios de pagamento do país.

O Banco Central ainda garante que além de aumentar a velocidade dos pagamentos e transferências, o PIX pode alavancar a competitividade e a eficiência do mercado, incentivar a eletronização do mercado, bem como de pagamentos de varejo e promover a inclusão financeira dos cidadãos.

Para realizar um pagamento instantâneo e gratuito com o PIX não é necessário saber todos os dados do recebedor. Isso significa que os usuários precisam apenas da chave cadastrada pelo usuário que receberá o valor. Vale informar que pessoas físicas podem cadastrar até 5 chaves PIX, enquanto as pessoas jurídicas podem cadastrar no máximo 20.

O cadastro de uma chave PIX deve ser feita diretamente no aplicativo ou Internet Banking da instituição que o usuário possui conta. Atualmente, é possível cadastrar como chave PIX o CPF, e-mail, telefone celular ou uma chave aleatória. Além disso, é possível receber ou fazer pagamentos por meio de um QR Code.

Veja como o sistema de pagamentos pode ser utilizado 

O PIX surgiu com o objetivo de revolucionar os meios de pagamento no país e vem conquistando novos usuários todos os dias. Atualmente, é possível utilizar o sistema para diversos fins como:

  • transferências entre pessoas;
  • pagamentos em estabelecimentos comerciais (em lojas físicas e no comércio eletrônico);
  • pagamento de prestadores de serviços;
  • pagamento entre empresas, como: recolhimento de receitas de Órgãos Públicos Federais, aluguéis de imóveis públicos, serviços administrativos e educacionais, multas, entre outros;
  • pagamento de cobranças; 
  • pagamento de faturas de serviços públicos, como: energia elétrica, telecomunicações (telefone celular, internet, TV a cabo, telefone fixo) e abastecimento de água;
  • recolhimento de contribuições do FGTS e da Contribuição Social.

Segundo o Banco Central, o PIX conta com diversos mecanismos de segurança com o intuito de proteger seus usuários. Mais informações sobre o sistema de pagamentos podem ser obtidas nos canais oficiais das instituições financeiras que integram o PIX. 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.