Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Piso Nacional de 2022 sem ganho real e abaixo da inflação

O aumento é baseado somente nos índices da inflação desde 2019, gerando um ganho muitas vezes insignificante aos trabalhadores brasileiros.

Anualmente, o Governo Federal corrige o valor do salário mínimo. O aumento é baseado somente nos índices da inflação desde 2019, gerando um ganho muitas vezes insignificante aos trabalhadores brasileiros.

Para o próximo ano, a mesma estratégia será aplicada. De acordo com o Ministério da Economia, o valor do piso nacional de 2022 será de R$ 1.147, tendo um acréscimo básico, comprometendo ainda o poder de compra dos trabalhadores.

Sendo assim, o salário mínimo perderá o ganho real mais uma vez. Acontece que a equipe da Economia prevê uma inflação de 4,3% para o ano. No entanto, o IPCA já se encontra em 8,35% no decorrer de 12 meses.

Posto isso, 2022 será o terceiro ano sem um ajuste conforme a inflação e sem ganhos reais. Este ano, o piso nacional foi reajustado em 5,29% com base na projeção do Governo sobre o INPC.

Salário mínimo sem ganho real

Mesmo com um salário reajustado fora dos índices da inflação, o cidadão brasileiro passa pelo terceiro ano sem ganhos reais. Devido a crise econômica da pandemia, os empregadores não conseguiram aumentar o salário de seus funcionários, ficando no mesmo nível ou abaixo da inflação.

No ano passado, a inflação correspondia um número relativamente baixo, não impactando de forma negativa os trabalhadores com relação aos preços dos produtos. Todavia, diante a dispara dos preços esse ano e, consequentemente da inflação, os aumentos ficaram abaixo do índice.

De acordo com o Relatório divulgado pelo Banco Mundial, a crise econômica causada pela pandemia do coronavírus deve provocar um efeito negativo sobre empregos e salários no Brasil pelos próximos nove anos.

Outro relatório, elaborado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE), indica que alguns países latino americanos levam um bom tempo para se recuperarem de crises financeiras que geram desemprego. Em médio, esse período pode ser contabilizado em nove anos.

Veja também: 550 mil cidadãos devem regularizar a situação do Imposto de Renda

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
3 Comentários
  1. Gerson Camargo Diz

    tenho que viver com um salário mínimo mais ainda bem que tenho

  2. Wanderlan Diz

    Concordo com o aumento do salário mínimo

  3. Darci Diz

    Ecunto isso só no nosso que diz o datena só no nosso

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.