Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Os diferentes usos da palavra “se”: confira!

“Se”: funções e usos

A palavra “se” pode ser utilizada nos mais variados contextos, assumindo funções completamente diferentes entre si.. Porém, é extremamente importante que você saiba reconhecer os seus principais usos, uma vez que questões de português de concursos e vestibulares abordam esse tópico com uma grande frequência. 

Assim, para te ajudar, o artigo de hoje trouxe um resumo com os principais e mais cobrados usos do termo “se”. Vamos descobrir, a seguir, quais são eles. 

“Se”: Substantivo

Quando nos referimos à própria palavra, “se” pode funcionar como um substantivo.

Exemplo: 

  • Vamos estudar o se nesse artigo.

“Se”: Conjunção subordinativa integrante

Quando o “se” assume uma função de conjunção subordinativa integrante, ele introduz uma oração subordinada substantiva.

Vamos observar, a seguir, um exemplo:

  • Observe se os donos do carro assinaram o contrato corretamente.

“Se”: Conjunção subordinativa causal

O “se”, quando utilizado como uma conjunção subordinativa causal, pode atribuir uma ideia de causa à oração principal, se equivalendo às expressões/conectivos “já que” e “uma vez que” 

“Se”: Conjunção subordinada condicional

Quando assume uma função de conjunção subordinada condicional, o “se” introduz uma oração principal que expressa condição.

“Se”: Pronome apassivador

O “se” pode funcionar como um pronome apassivador em determinada oração, acompanhando verbos transitivos diretos ou verbos transitivos diretos e indiretos que, por sua vez, se encontram na voz passiva sintética.

Vamos observar este exemplo: 

  • Entregam-se flores.
  • Alugam-se casas na cidade.

“Se”: Índice de indeterminação do sujeito

A expressão “se” pode funcionar também como índice de indeterminação do sujeito. Nesse caso, o termo irá acompanhar os verbos transitivos indiretos, de ligação ou intransitivos e que se encontram na terceira pessoa do singular.

Vamos observar dois exemplos: 

  • Vive-se bem na Europa.
  • Era-se feliz antes do início da pandemia.

“Se”: Parte integrante do verbo

O “se: pode assumir função de parte integrante do verbo em determinada oração.  Isso ocorre quando a expressão acompanha os chamados verbos pronominais, ou seja, verbos que são conjugados na presença de um pronome pessoal oblíquo.

“Se”: Pronome reflexivo recíproco

O “se” assume função de pronome reflexivo recíproco quando existem dois sujeitos na frase e exerce uma ação sobre o outro. 

Exemplo: 

  • Os tenistas cumprimentaram-se cordialmente.

“Se”: Partícula expletiva ou de realce

O “se” pode assumir essa função quando estiver, em determinada frase, conectado com verbos intransitivos. A principal característica dessa função é que o pronome pode ser retirado da frase sem que haja qualquer mudança em seu significado final, uma vez que ele não assume nenhuma função sintática.

Vamos observar esse exemplo: 

  • Passavam-se os dias na prisão.
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.